Escrever ou não escrever diariamente?

Sorry, this entry is only available in Brazilian Portuguese.

Sobre 

Fábio M. Barreto roteirista e diretor de cinema e TV. Baseado em Los Angeles, nos Estados Unidos, atuou como criador de conteúdo multimídia, mentor literário e é escritor premiado e com vários bestsellers na Amazon.com.br. Criador do podcast "Gente Que Escreve" e dos cursos "Escreva Sua História" e "C.O.N.T.E. - Curso Online de Técnicas para Escritores".

    Saiba mais sobre mim:
  • facebook
  • googleplus
  • linkedin
  • twitter
  • youtube

13 thoughts on “Escrever ou não escrever diariamente?

  1. Muito bom, e eu me considero “escrevendo” enquanto durmo, pois quando fico o dia todo com a ideia na cabeça, e a desenrolar a história, meu cerebro agarra isso com furia kkkk e transmite tudo em meus sonhos, um de meus contos que ainda prefiro manter no fundo da gaveta para revisar depois surgiu assim…. Depois de uma noite muito bem dormida.

    1. Dormir não conta, Fran! =D Afinal, você não controla o processo. Ele ajuda, mas os sonhos são lugares perigosos para ideias. Elas costumam ganhar asas muito loucas ali dentro. 🙂 Dormir faz bem e ajuda, mas é preciso ter o mínimo de controle, e registro, do processo para que ele seja “escrever”. :p

  2. Fábio, excelente post sobre várias das dicas que ajudam bastante alguém interessado a iniciar neste mundo – como eu estou nos últimos tempos. Estou tentando botar em prática esta dica da escrita diária, mas ainda encontrando uma certa dificuldade. Percebo o quanto é difícil tirar algo da cabeça e estruturar uma ideia no papel ou mesmo no computador, mas acredito que, como em outros ramos, a prática leve ao amadurecimento.
    Agradeço muito por todos os materiais que você disponibiliza visando auxiliar os que desejam ingressar neste mundo, seja como profissional ou como amador.

  3. Obrigado Fábio por essa grande iniciativa, se um dia for escritor vou te agradecer muito! O grande problema para começar a escrever é a vasta e ilimitada quantidade de coisas/ideias que vc pode escrever numa história. Digamos que quero escrever a história de uma mosca em Marte. Ela pode estar sozinha, com família, com amigos, pode ter até zumbi, ET’s… pode-se ter tanta coisa numa ideia que é aparentemente tão simples que eu me perco e nem sei pra onde ir. Entendeu esse drama? Nunca sei qual o melhor caminho. E se minha escolha é a melhor.
    É bem complexo.

    1. Na verdade, não é complexo não. Basta escolher uma delas e tentar. Não funcionou? Faz de novo. Vai mudando até gostar. E se você acertar de primeira? 😉
      Complexo é ter a ideia. Começar a fazer é até bem mecânico, depois melhora e evolui.

  4. “Escrever diariamente” é um dos meus objetivos atuais no que se refere a melhorar a escrita… Embora esteja tendo dificuldade em aplicar, tentando encontrar um bom formato que se adeque as minhas condições de uso do tempo disponível (quero tornar o tempo para escrever regular e não “escrever no tempo livre”)… Estipular uma ou duas horas diárias ou uma quantidade de palavras por dia, etc. Está difícil aplicar, mas eu chego lá.

  5. Essa com certeza foi uma das dicas mais importantes para o meu processo de formação como escritora, antes eu apenas escrevia quando tinha vontade e isso me atrapalhou muito, perdi muito tempo e claro, algumas ideias.
    Quanto a essa questão de não parar a mente, tenho exercitado muito ultimamente e funciona bem! hahaha
    Parabéns pelo texto.

  6. Ao terminar de ler esse artigo é difícil não ficar animado e partilhar a rotina de escrita. Porém, antes devo agradecer ao Fábio pelos novos ensinamentos aonde destaco a seguinte frase que me fez abrir um largo sorriso “Você é um escritor por se portar como escritor”. Li isto é já comecei a retomar o meu dia-dia: Filmes, Livros, Quadrinhos, Séries, Internet, Uma caminhada, Games e tudo mais. Enxergo essas diversas opções de entretenimento como escritor? Vejo estrutura e até mesmo literatura em todas elas? Na maioria das vezes sim.

    Tento escrever todos os dias, mas há dias em que simplesmente não dá para se dedicar no romance. Não sei qual a justificativa para isso e já desisti de encontra-la. Sendo assim, comecei a pensar em algumas alternativas: Fazer uma resenha sobre algo que li ou até mesmo caprichar em algum comentário em um post interessante na internet (exatamente o que estou fazendo agora). De início a auto cobrança via como uma martelada “Você não está se dedicando ao seu romance, logo vai perder o seu tom, sua voz e seu ritmo”. Essa punição se perdeu com o tempo a partir do momento em que o mundo ao meu redor me fornecia ideias. Como o Fábio bem disse “Trabalhar/Pensar sua história”. Nesse processo a felicidade era completa quando surgia uma frase para dar inicio a um diálogo ou uma imagem que poderia se transformar em uma cena.

    Aproveitando a oportunidade, gostaria de fazer uma pergunta para um monte de pessoas. Para o autor do artigo e para todos os companheiros escritores. Vocês têm o costume ou experimentaram a escrita à mão?

    1. Wesley, sou escritor iniciante e escrevo à mão a primeira versão do texto (o rascunho). Daí o transcrevo para o editor de textos, momento no qual faço a edição – “corto” uns trechos, acrescento outros, verifico a pontuação, etc.

      E você, escreve a mão ou digita seu texto logo no início?

  7. Fábio,
    seus textos, seus ensinamentos, sua inspiração realmente fazem a diferença na vida dos entusiastas pela escrita e futuros criativos das palavras.
    Tudo se torna possivel…. viável em meio de tanto obstaculo.
    Obrigada por expor sua imensa experiencia em prol de nos ajudar a desenvolver nossas habilidades e corrigir erros infantis ou mesmo ignorados.

    O futuro aí está….. quem sabe nao surgirão palavras nossas que farão seus olhos brilhar de orgulho e satisfação….

  8. Escrever todo dia é uma ótima dica e teoricamente fácil de por em prática, afinal, depende apenas de nossa determinação. Mas, digo, teoricamente, pela minha própria incapacidade de dar continuidade e/ou terminar um projeto, acredite ideias não me faltam, tempo pode ser negociado ou roubado de algum lugar, mas, a nuvem negra de fracasso que ronda a minha cabeça sempre que começo a digitar é sem sombras de dúvidas a pior coisa que pode acontecer.

  9. Fábio, obrigado pelo texto.

    Minha maior dificuldade para escrever todos os dias é conciliar meu trabalho atual (do qual também gosto e paga as contas), o acesso a textos/vídeos/podcasts sobre técnicas para escrever, a leitura de outros livros literários (também útil para o processo criativo) e o ato de escrever em si.

    Por essa razão não consigo escrever diariamente. Em geral, leio outros textos (e fatos cotidianos) de segunda a quinta e escrevo às sextas, sábados e domingos. Isso é um problema? Se sim, o que sugere para quebrar essa rotina?

    Obrigado desde já.

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *