[SOS Cast 19] Especial Hayao Miyazaki

Edição Especial de Natal aborda as mulheres, espiritualidade, psicologia e o cinema de Hayao Miyazaki!

Promessa é dívida, mesmo que leve um tempão para acontecer! Aí está nosso Especial Hayao Miyazaki, o verdadeiro mestre da animação clássica, que vai muito além da popularidade de A Viagem de Chihiro e de um simples cineasta dedicado ao desenho animado. Você conhece seus filmes e, agora, vai conhecer suas motivações, sua devoção às mulheres, sua ligação espiritual e sua estrutura psicológica, além, de claro, mergulhar mais ainda em seu legado cinematográfico. Esse programa não é uma biografia, mas sim uma verdadeira viagem emocional e conceitual ao mundo mágico imaginado, ou simplesmente traduzido, pelo diretor. Três convidados especiais debatem cada um desses aspectos na discussão definitiva (ou não) sobre Hayao Miyazaki, com moderação de Fábio M. Barreto e, claro, participação de Wikerson Landim!

Qual seu momento favorito na obra? Que filme mais marcou? Participe e comente!

CONVIDADOS
Raquel Gompy (Monalisa de Pijamas)
Daniel Wey (Falcão Azul)
Pablo de Assis (Nerd Express)

FILMES COMENTADOS
A Princesa Mononoke
Laputa – O Castelo no Céu
Castelo Animado
Ponyo
A Viagem de Chihiro
Nausicaä
KiKi’s Delivery Service
Porco Rosso
Meu Vizinho Totoro

[ad#miyazaki-01]

LINKS RELACIONADOS
SOS Cast 15: Uma Década de Animação em Hollywood
SOS Cast 18: A Origem
MonaCast 74 – Hayao Miyazaki
Nerd Express, de Pablo Assis

Duração: 2h14min

EDIÇÃO:
Marcelo Salgado

IMAGENS:
Marcus Roberto

SUGESTÕES, CRÍTICAS, RECLAMAÇÕES, PRECES AO ESPÍRITO DA FLORESTA
Envie e-mails para: contato@soshollywood.com.br

NO TWITTER:
@soshollywood

RSS e iTunes
ATUALIZADO: Adicione o feed do SOSCast no seu iTunes ou outro serviço de download.

[display_podcast]

GALERIA
E como todas as vezes o Marcus Roberto surpreende com grandiosas artes para o MP3 e para o post, então, a partir de agora, vocês terão acesso a todas as elas para customizar seu arquivo da maneira como achar melhor!

[photosmash id=5]

Sobre 

Fábio M. Barreto roteirista e diretor de cinema e TV. Baseado em Los Angeles, nos Estados Unidos, atuou como criador de conteúdo multimídia, mentor literário e é escritor premiado e com vários bestsellers na Amazon.com.br. Criador do podcast "Gente Que Escreve" e dos cursos "Escreva Sua História" e "C.O.N.T.E. - Curso Online de Técnicas para Escritores".

    Saiba mais sobre mim:
  • facebook
  • googleplus
  • linkedin
  • twitter
  • youtube

39 comentários sobre “[SOS Cast 19] Especial Hayao Miyazaki

  1. Nem terminei de ouvir ainda e já sei que terei que ouvri mais umas 4 vezes, pq está excelente!!

    O podcast tá recheado de informações e conceitos que, depois de escutá-lo, não tem como alguém não querer ver tudo o que há do Miyazaki..

    Eu AMO a obra dele desde que vi Totoro, e fico triste pelo fato da Disney não lançar a obra toda do estúdio Ghibli aqui no Brasil….. pq o trabalho deles é tão maravilhoso que até os filmes que não são dirigidos pelo Miyazaki são imperdíveis!

  2. Fábio, meu filho, que presente!!
    Eu AMO o Miyazaki! Conheci o trabalho dele pelo Rapaduracast e fui atrás de todos os filmes. Apaixonei-me totalmente! Mas nunca é demais falar sobre o trabalho desse mestre. Fico feliz que vc tenha feito uma edição do SOSCast sobre ele e vou ouvir com prazer! Sempre aprendo muito contigo…
    Valeu por esse presentão de Natal!!

    😉

  3. Baixando com sucesso finalmente, pessoal!

    Ontem todas as 4 vezes que tentei fazer download, por algum motivo obscuro, meu pc não estava a fim de colaborar… Mas agora nada me impedirá de ouvir o cast do meu ídolo-mor Hayao Miyazaki!

    Antes de ouvir, já comento aqui: ano passado (2009) eu fazia o programa de rádio do colégio. Uma vez, inventamos de fazer uma edição sobre cinema. Eu fiquei uma meia hora do programa tentando convencer os meus colegas de porque “A Viagem de Chihiro” é o meu filme favorito de todos os tempos! Já estava engraçado de ver a bagunça no estudio detonado da gente hehehehe

    Baixando e mandando um email ou outro comentário assim que eu acabar! Caso não faça isso até o Ano Novo, bom Ano Novo a todos, ao Fábio, ao Wikerson e a todo o pessoal que fez parte do SOS esse ano de 2010 e que 2011 seja melhor ainda!

    Abração a todos e até mais!!

    Flávia Santos, 18 anos
    Porto Alegre – RS

  4. Cheguei ao Japão um pouco depois do lançamento de Tonari no Totoro e era uma história bastante popular. Foi quando conheci o mestre Hayao Miyazaki.

    E o que mais comentar aqui? Vocês abordaram bem vários aspectos do mestre. =D

    Só tenho uma coisa a lhes dizer, mais ou menos on-topic: essa questão dos nomes em japonês, podem desencanar. As palavras japonesas não obedecem a uma ordem rígida de tonicidade como as nossas. Numa hora a palavra é “paroxítona”, noutra é “oxítona” e noutra ainda pode até se tornar “proparoxítona”. Vai depender muito das palavras que a acompanham numa frase; é a regra do “pitch tone”. Então está certo pronunciar “NÁUsica” ou “nausiCÁ”. =D

    No mais, parabéns pelo excelente podcast! Como disseram os amigos aí em cima, é para ser ouvido várias vezes.

    Agora dá licença que meu ônibus-gato está chegando e preciso ir ao castelo de LaPuta. =D

  5. Mais um Exclente Cast, Barretão.

    E não precisa se preocupar com a “demora” que você (às vezes) toma para produzir outro cast, pois todos nós, seus fãs, sabemos que você só entrega produtos com o selo de qualidade S.O.S. Hollywood!

    Esperarei ansiosamente por Abril para o início da temporada 2011 do SOSCast.

    Sobre este cast: sensacional! Adoro Miyazaki-san e suas obras de arte animadas. Mesmo sendo um Gaijin consigo entender tudo que é passado nos filmes de Miyazaki-san pois a linguagem dele é universal.

    PArabéns mais uma vez e aguarde um email mais caprichado!

    Vida Longa e Próspera

  6. Saudações, Barretão e Landim.

    Excelente programa, rico em conteúdo, muito bem editado, boa escolha de convidados e sistema de blocos aprovado com louvor.
    Saber que serão tão poucos programas durante o ano gerou um misto de expectativa e decepção. Decepção porque gostaria de ter sempre o SOSCast presente no mp3 player e expectativa por saber que cada programa será tratado com o máximo de dedicação.
    Parabéns a todos e sucesso em 2011.

    Abração.

    1. Kio,

      Pessoalmente, é ruim não poder fazer mais programas, pois gosto do formato. Entretanto, é a saída mais justa. O público é pequeno, mas fiel e preferimos ter esse esquema mais fechado e garantido, do que ficar prometendo e fazer de qualquer jeito. O fator financeiro também afeta, pois TUDO que fazemos no site é gratuito e poucas são as agências de mídia dispostas a anunciar por aqui. Os caras acham que “somos pequenos”, por causa dos números. E como me recuso a ficar contando piada ou botando nariz de palhaço só para conseguir patrocínio, vamos seguir o caminho mais árduo e demorado. A recompensa é melhor quando chega. 🙂

      valeu e obrigado por sempre estar por aí!

  7. Nunca tinha ouvido o SOS Cast, me surpreendi, achei muito interessante e inteligente. Sempre ouvi o Fábio Barreto pelo Rapaduracast e nunca tinha pensado à respeito de seu podcast, mesmo o Jurandir sempre dizer Fábio Barreto do SOS Cast, nunca tinha associado uma coisa à outra. Até que um dia desses resolvi clicar nos integrantes do rapadura e lá estava SOS Cast, daí ouvi e gostei. A empolgação com que o Fábio Barreto fala é demais, parece que qualquer assunto que ele aborda é foda pra caramba. A entonação da voz, o conhecimento à respeito dos filmes e de Holywood é grande também. Chega de rasgação de ceda.
    Nunca tinha ouvido falar de Miyazaki, achei super interessante, vou procurar ver os filmes.

    Baixando todos os Casts…

    Parabéns!!!

    1. Obrigado pelo apoio, Ednaldo! Impressionante ver que muuuuuuuuuuuuuuuuita gente que escuta RapaduraCast não percebe que o SOS é um site, que tem podcast e pode ser mais uma fonte para cinéfilos. Quando essas descobertas acontecem, o retorno é sempre muito bem-vindo e feliz, assim como o seu! Muito obrigado!

      Veja os filmes do Miyazaki sim, são transformadores. 😀

      abs,
      Fábio

  8. Olá!

    Estava procurando informações sobre Myazaki na internet e acabei encontrando este site. Foi a primeira vez que escutei o SOScast, e gostei muito. Fiquei com muita vontade de ver todas as produçõesMyazaki Achei muito interessante a abordagem feita, cheia de conteúdo, parabéns!!!

    Valeu

  9. Demorei para escrever, mas cá estou.

    Algumas considerações:

    Sobre as mulheres de Miyazaki: de acordo com a cultura japonesa a mulher é encarregada de cuidar do lar e da família. Isso inclui até mesmo o lado financeiro. Diz-se por aqui que os homens colocam todo o dinheiro que recebem na mão de suas esposas e que inclusive são elas que dão dinheiro aos maridos quando esses querem “dar umas voltas” de vez em quando. Tanto é que até hoje ainda é normal as mulheres quererem se tornar “donas de casa” e ao se casar deixar de trabalhar. Estranho para nós do ocidente que privamos pela independência independente do relacionamento e em um país como o nosso que a renda de apenas uma pessoa não é suficiente para sustentar uma família. Mas enfim, o que quer dizer que mesmo o Japão parecendo uma cultura machista, não declaradamente a mulher tem sim um papel de grande importância e influência na sociedade. E vejo essa exaltação da mulher como uma reflexão sobre esse poder não declarado que a mulher tem no Japão.

    Quanto e espiritualidade e consciência ecológica: O Japão é um país que sofre constantes ataques da natureza. Por aqui a natureza está sempre nos mostrando que se nós não tivermos respeito por ela, ela é infinitamente mais forte que nós. Os terremoto que mesmo que pequenos nos mostram que não há para onde correr. Os tempos de chuva são marcados por tufões, a neve que cobre tudo no inverno, o mar que pode subir a qualquer momento. E mesmo que no Japão não haja uma religião com rituais demarcados, a cultura te ensina a ter respeito. As datas de feriados são baseados nos elementos da natureza como a chegada da primavera e do outono, dia do mar e inspira os nomes das pessoas. Outra curiosidade do Japão, uma professora uma vez me disse com orgulho que apenas 10% da mata nativa do país havia sido danificada e isso é muita coisa se você levar em conta o seu tamanho. Isso sem contar a limpeza e organização. E aí você olha pra fora e se assusta com o descaso das pessoas. Ainda sobre a espiritualidade, na cultura japonesa os deuses e demônios não são como o bem e o mal. Um demônio pode ser aquele que com sua face horripilante protege a sua casa dos maus espíritos. Há também uma grande festa em meados de agosto chamada de “obon” que é uma época eles acreditam que o espírito dos mortos vem visitar a sua casa, um sinal de que se deve respeito aos espíritos.

    Outra coisa que eu gostaria de acrescentar é que eu acho que muito do filme se perde na linguagem. Ao contrário das animações da Disney, que tem uma cultura semelhante a nossa, eu acho que as animações japonesas deveriam ser vistas em japonês. As ações dos personagens são combinadas a fala de uma forma que sua dublagem perde muito culturalmente falando. A entonação dos personagens demonstra um jeito muito diferente do nosso e que precisa ser adaptado para o mundo ocidental quando dublado. Também existe uma diferença de linguagem de acordo com a hierarquia que tal pessoa possui diante do grupo e de outros grupos que não tem tanta diferença na nossa língua.

    Ainda existe um outro fator que em filmes tem bastante não só nos filmes do Miyasaki, filmes japoneses é que eles fogem do final “felizes para sempre” ocidental. Um que eles gostam muito de um bom drama. Mas se for fazer uma análise dá pra se dizer que isso é também um reflexo de um país que perdeu mais que qualquer um na segunda guerra mundial. Perdeu a guerra, as pessoas, e dá valor ao que tem, da comida que não pode sobrar no prato, aos ciclos que se fecham assim como as cerejeiras que são o símbolo de que se deve comemorar momentos que passam tão rápido…

    Quando aos nomes: Naushika, na verdade é NaÚshika. Mas eles não podem nem nos recriminar porque o inglês ajaponesado deles é terrível.

    Se eu for falar do Japão, ficarei horas aqui….

  10. Só não saio agora porque são 1:42hrs.
    Qua podcast!
    Parabéns Fábio Barreto, conseguiu se superar com este cast.
    tanta informação e mesmo assim sendo interessante ao ponto de instigar-me à continuar pesquisando.
    Muito bem feito usar a cena da bicicleta como âncora,cada um dos participantes exprimiram suas opiniões sobre ela sem a influência externa. mostrando como o simbolismo daquela cena é universal.

  11. Voltando depois de algum tempo, pq não resisti e fui atrás de Porco Rosso e Laputa, e ainda devo ver outros nos próximos meses.

    E preciso dizer que tem uma coisa que não foi comentada e senti falta: A Árvore!!!!
    Não sei se ela aparece em todos os filems do Myiazaki, mas ela está presente na maioria dos que vi até hoje (Totoro, Nausicaa, Laputa, Ponyo, Viagem de Chihiro)
    Aliás, eu a chamava de “A Árvore do Totoro”, mas neste mês decobri que ela já aparece em Laputa.
    Esta Árvore me chamou tanta a atenção que quando vi Avatar eu a associei automáticamente àquela árvore-mãe e fiquei esperando sugirem aqueles seres pequeninos de Mononoke apra interagir com os seres azuis.. rsrsrs

    E este SOScast está no meu Top 5 e estou recomendando a todos que gostam de animes e filmes de qualidade!

  12. Achei que faltou falar mais dos filmes que sairam dublados e não só os legendados, falo isso apenas rs pois vi com a minha filha totoro, castelo animado, ponyo, chihiro, kiki, reino dos gatos, e acho que falaram mais de laputa, porco rosso, nausicaa e mononoke.
    Isso foi apenas um adendo nessa ótima publicação de um mestre no cinema, alias a minha filha tem 4 anos e adora os filmes do Miyazaki.

  13. Saudações, Fábio, Wikerson e Marcelo (o editor fantasma hehe),

    Demorei “apenas” 2 meses pra ouvir o cast, e não me orgulho disso. Ficou muito bom, com uma abordagem diferente.
    Por enquanto só assisti 2 obras do grande Miyazaki: Mononoke e Túmulo dos Vagalumes (este último já entrou para minha lista de filmes preferidos).Sempre gostei de anime, mas assisti poucos longa-metragens. Recentemente também conheci as obras de Satoshi Kon, e já virei fã.
    É muito bom assistir animações que te dão um tapa na cara. Miyazaki faz isso de maneira primorosa.
    Parabéns pelo ótimo trabalho, e aguardamos a nova temporada do SOS!

  14. Pessoal, que site maravilhoso, descobri ontem ao buscar notícias sobre o Hayao. Parabéns!!
    Quem é Hayao para mim? Um gênio, que de diversas formas me traz de volta para a minha essência e me ajuda a não me sentir tão estranho. Arquétipos? Gostei da teoria. De qualquer forma, essa é minha terapia FOR FREE!!! Antes de tudo, o Hayao é sensorial, são os detalhes tão sutis de seus filmes que os fazem tão intensos. Ele sempre apresenta relações de extremo refinamento entre todas formas de vida. Particularmente, acredito que é por esse caminho que iremos evoluir. Nos tornarmos cada vez mais conscientes de cada som, toque, olhar, cheiro ou gosto. Quem nos ensina a ser assim? As mães nos dando a vida, nos amamentando, dando amor incondicional. Em contrapartida, vivemos em uma sociedade tão machista, tão patriarcal. Entendo o motivo do Hayao criar personagens mulheres como lideres, tão fortes e mesmo assim tão mulheres, talvez até exageradas, mas não impossíveis. Para aqueles que sentem falta de uma referência de conduta masculina? Temos ótimos exemplos de pais amáveis e trabalhadores ou de jovens com valores tão nobres e maduros. Nosso principal papel…adimirá-las!!! Parabéns Fabio Barreto e convidados!!1

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *