[SOS Cast 14] O IPad e o Entretenimento

Quando Steve Jobs anunciou o lançamento do IPad, ele não modificou apenas os rumos do mundo da tecnologia, pois afetou o sistema atual de consumo e produção de entretenimento, ou seja, cinema, TV, literatura e jornalismo. Fábio M. Barreto, Wikerson Landin e os convidados Nick Ellis (Digital Drops, Premiado como Melhor Blog do Mundo em Português) e Ock-Tock (Máquina do Tempo) debatem a influência desse novo marco na evolução tecnológica, seus efeitos, suas potencialidades e compartilhar suas experiências com o cacareco do momento: IPad!

Qual sua opinião? Acha que o IPad vai mudar muita coisa? Somente jogada de marketing? Já usou? Está com vontade de comprar? Comente e participe!

[IMPORTANTE]
A versão sem música está disponível para download no final deste post.

LINKS RELEVANTES:
Steve Jobs apresenta o IPad

Virginia Campbell, 99 anos de idade, voltando a ler com o IPad!

… e o Gato.

MÚSICAS DA EDIÇÃO:
Digital Man, do Rush (escolha do Ock-Tock).
Go-Go Gadget Gospel, de Gnarls Barkley (escolha do Nick Ellis)

Duração: 1h28min

EDIÇÃO:
Marcelo Salgado

IMAGENS:
Marcus Roberto

SUGESTÕES, CRÍTICAS, PIADAS, IDÉIAS PARA SACANEAR O SHELDON

Envie e-mails para: contato@soshollywood.com.br

NO TWITTER:
@soshollywood

RSS e iTunes
ATUALIZADO: Adicione o feed do SOSCast no seu iTunes ou outro serviço de download.

[display_podcast]

Sobre 

Fábio M. Barreto roteirista e diretor de cinema e TV. Baseado em Los Angeles, nos Estados Unidos, atuou como criador de conteúdo multimídia, mentor literário e é escritor premiado e com vários bestsellers na Amazon.com.br. Criador do podcast "Gente Que Escreve" e dos cursos "Escreva Sua História" e "C.O.N.T.E. - Curso Online de Técnicas para Escritores".

    Saiba mais sobre mim:
  • facebook
  • googleplus
  • linkedin
  • twitter
  • youtube

29 comentários sobre “[SOS Cast 14] O IPad e o Entretenimento

  1. o mundo vai ficar ainda mais artificial.

    um dia você envelhecerá, muito provavelmente sua memória irá se esvanecer, quando os teus netinhos quiserem saber melhor quem o vovô Fabio foi, você teria alguma recordação pra mostrar pra eles ? , vais mostrar o que ? aquivos em mp3 ? pois musica tenho certeza que não só você , como muitos por aí, já nem fazem mais questão de adiquirir um cd. Livros que lhe deram sonhos ! sem os quais nenhum ser-humano é capaz de viver ! armazenados em alguns gigas no I Pad ? suas matérias, que escreveste com tanta paixão, ficariam relegadas à frios arquivos no pc ?

    Eu prefiro deixar a minha vida mais orgânica. Pra pelo menos quando eu estiver no meu leito de morte, com a minhas lembranças quase deletadas, eu possa pegar aquele vinilzão dos Beatles e lembrar de quem eu fui.

    *ainda não ouvi o cast, mas ouvirei.

    1. Caraca, Caio, nem tão in nem tão out, amigão. Entendo o que você fala. Há uns dois anos fui a um show do Lenine, artista que admiro e que consumo invariavelmente, e na entrada da plateia estavam vendendo um pen drive de madeira de reflorestamento, patrocinada pela Natura, com a logo do último cd dele e as músicas dentro, além de uns extras. Quando vi achei meio frio também, afinal gosto de colecionar os CD’s e DVD’s. Mas acho que a coisa evolui. Um vinil poderá não fazer sentido para nossos filhos, que quando velhos lembrarão com nostalgia dos bons iMacs que demos a eles quando jovens, onde guardavam suas fotos, filmes e músicas que lhes ensinamos a gostar. Acho que o que você se refere é o espírito da coisa. Plataformas virão e irão, mas isso jamais morrerá.

  2. eu ainda nao sei o q aconteceu com o SOS, mas to gostando da profundidade dessa nova fase.

    qto à polêmica levantada ai… vou dizer, tem um amigo meu q só de pensar q ele não tem em vinil todos os cds dele, já começa a se coçar e ficar noiado pq para ele, um bom som se escuta em um vinil girando na vitrola.

    na minha opinião, um bom som me lembra momentos, e ai esse som pode ser ao vivo, em vinil, em cd, cassete (K7 ahuahu), no rádio, mas de preferencia cantarolado todo errado e com palavras trocadas pela inabilidade da fala das minhas filhas.

    Entendo o apego às coisas materiais (sou de guardar coisas tb), simplesmente pq essas coisas me lembram situações e pessoas que com certeza esqueceria se não tivesse aquele marco fisico – seja ele um papel de bombom ou um pedaço do tapete verde do 1o monsters of rock cortado a duras penas com isqueiro =D (quem tava lah sabe!) – mas se o objetivo são as pessoas, as memórias, as situações, posso dizer que já sou da geração que tem seus souvenirs da vida em arquivos digitais, que guardo desde o meu primeiro computador usado nos primeiros freelas, alguns trabalhos da facul, ilustrações, capas de alguma coisa, fotos da banda… enfim aquela velharia dos anos 90.

    tah tudo backupeado em cd – de vez em quando eu abro meu bau de velharias digitais e fico fuçando… fico lá lembrando de pessoas, lugares e situações.
    MAS O PAPEL DE BOMBOM TÁ GUARDADO TB! =D

    =====================================================
    fico pensando se um dia algum escriba pensou: “ah! esses modernismos!!! que mané livro oq??! ESCRITURA Q SE PREZE TEM Q SER NO PAPIRO PÔ!”

  3. Pingback: Dado Ellis
  4. Pingback: wikersonlandim
  5. Pingback: Marcelo Salgado
  6. Pingback: wikersonlandim
  7. Pingback: Ock-Tock
  8. Pingback: wikersonlandim
  9. Pingback: Podpods
  10. Opa, saudações! Podcast com participação de Fábio Barreto, Wikerson landim, Nick Ellis e o “Beijo Ock”, além de edição do Marcelo Salgado, não podia ficar ruim. 😀

    Deixa eu dar meus pitacos sobre o assunto…

    Todas as maravilhas proporcionadas citadas no podcast são reais, mas podem vir a serem concretizadas em maior ou menor escala. Dependendo do desenvolvimento das tablets no mercado.
    O iPad foi o pontapé inicial, eu entendo. Mas ele em si ainda é muito inacessível para a maioria. Eu mesma nem me vejo colocando a mão em um. Só se encontrar algum amigo com um num desses eventos de tecnologia e internet.
    Aguardo ansiosamente pela chegada das tables com Android, Windows e afins. Com aperfeiçoamentos, assim como os do próprio iPad.
    Falando de Brasil: Será quanto tempo até as tables atingirem a população tanto quanto os desktops? Vocês mesmos alegaram ser um produto não só para os geeks, mas sim para o Tio João mesmo.

    Agora uma comentário extra.
    Gente, vocês podcasters jornalistas e blogueiros me deixam LOUCA falando de jornalismo! Hahaha! Não sei se faço facul e tento seguir nessa área com a cara e coragem, ou tento uma carreira nas exatas, que é grana certa, mas são coisas que não me agradam. #prontofalei

    É isso… Abraços!

  11. Pingback: wikersonlandim
  12. Então o Ipad é maravilhoso e não tem defeitos? Desculpe mas acho que não é bem assim.
    Ele foi anunciado como uma revolução, mas de que tipo?
    Vocês do SOS conseguiram enxergar o tipo de revolução que lel criou, que é a de pessoas que não são muito chegadas a informatica ou nunca mexeram em pc´s usem com mais facilidade o Ipad, mas a Apple não deixou isso claro em nenhum momento mas quis passar que esse é um produto que é muito mais do que é na verdade.

    1. Oi Marcelo,

      Defeitos existem, claro. Ainda não comprei por causa de algumas deficiências (e falta de dinheiro, claro!), por exemplo. Mas é um ótimo primeiro passo e, novamente, como Reader ele é perfeito. Pode ter problemas em outras áreas, mas em sua missão primária, ele é brilhante. :p
      Vimos algumas possibilidades e foi mais um exercício de apresentar um tema ao ouvinte, sabe. Nada de certo ou errado, mas do viável e plausível. Quem define isso é o consumidor. 😉

      abs e valeu pelo comment,
      Barreto

  13. Dei minha opinião e você leu e já respondeu rapidamente, se eu já ouvia e acompanhava o SOS agora continuarei com total certeza, pois tenho “ainda mais” certeza da sua seriedade e cumplicidade com o seu trabalho e porque não dizer hobby.
    parabéns e continue assim, desculpe usar esse espaço para a mensagem.

    Obrigado,

  14. Pingback: Ricardo Rente
  15. Ouvi já a algum tempo, mas esqueci de vir comentar.
    Para mim o iPad não ia ter utilidade nenhuma, já que a área em que eu trabalho não requer tanto assim.
    Entre um iPad e um notebook eu prefiro comprar o notebook, mesmo que eles estejam do mesmo preço, pois eu trabalho mais com digitação e fica bem melhor fazer isso em um teclado e ter a tela na minha frente.
    Mas, ao ouvir o podcast, fiquei com muita vontade de ter um para usar como leitor de eBooks ou ler HQs.

  16. Pingback: SOS Hollywood
  17. Olá…Não sabia nada sobre IPad antes de ouvir o cast- Caramba!!que coisa incrível e revolucionária.
    Então, pelo jeito que vocês falaram muita coisa vai mudar na leitura e no jornalismo, uma mudança importante(e pra mim que esse ano tenho que escolher minha faculdade e quero fazer jornalismo), muito importante mesmo. Um futuro sem papel é viável, pela facilidade e tal.IPad é isso, uma ferramenta a mais de informação e conhecimento,”Ele já é uma revolução, e acabou de começar”.
    Cast super explicativo. Valeu caras!

  18. Gosto do rumo sério, crítico e fresh (melhor tradução seria atual? autêntico?) que o soscast está tomando. Aqui no Brasil a gente fica muito preso às respostas somente do público brasileiro quando surge alguma novidade (filmes, séries, novas tecnologias), por isso eu estou gostando de ver o outro lado de quem ta aí em cima (no mapa, hehe) onde as coisas geralmente chegam primeiro e as pessoas tem uma visão/cultura diferente sobre estas.
    Sobre o ipad só tenho uma coisa a dizer, vou esperar as próximas versões, tenho certeza absoluta que vai vir coisa melhor ainda, e se comprar agora vou acabar ficando um pouco arrependido depois!
    Parabéns pela evolução do podcast, Fábio.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *