[SOS Cast 13] Especial Guerra no Pacífico e no Cinema

The Pacific custou US$ 230 milhões, O Resgate do Soldado Ryan faturou quase US$ 500 milhões, ninguém se esquece daquele célebre beijo em A Um Passo da Eternidade, assim como tantos outros momentos inesquecíveis e terríveis. Os filmes de Guerra compõem um gênero fundamental para Hollywood, repleto de lições, idéias e combates. Nessa edição, Fábio M. Barreto e Wikerson Landin analisam essa produção, além de comentar entrevistas com Ridley Scott, Oliver Stone, Paul Greengrass, James Badge Dale e Bruce McKenna. Concorra a pares de ingressos e participe da disputa entre os ouvintes do SOS Cast no nosso “1 Grau de Separação”, que já teve suas duas primeiras sugestões! Escute e divulgue!

[IMPORTANTE]
A versão sem música está disponível para download no final deste post.

LINKS RELEVANTES:
SOS Cast 4: Especial Dia-D
Comercial da Força Aérea
Comercial da Força Aérea – 2
Especial The Pacific

MÚSICA DA EDIÇÃO:
Fortunate Son, da banda Creedence Clearwater Revival.

Duração: 1h18min

EDIÇÃO:
Marcelo Salgado

IMAGENS:
Marcus Roberto

SUGESTÕES, CRÍTICAS, PIADAS, PLANOS INFALÍVEIS DO CEBOLINHA

Envie e-mails para: contato@soshollywood.com.br

NO TWITTER:
@soshollywood

RSS e iTunes
ATUALIZADO: Adicione o feed do SOSCast no seu iTunes ou outro serviço de download.

[display_podcast]

Sobre 

Fábio M. Barreto roteirista e diretor de cinema e TV. Baseado em Los Angeles, nos Estados Unidos, atuou como criador de conteúdo multimídia, mentor literário e é escritor premiado e com vários bestsellers na Amazon.com.br. Criador do podcast "Gente Que Escreve" e dos cursos "Escreva Sua História" e "C.O.N.T.E. - Curso Online de Técnicas para Escritores".

    Saiba mais sobre mim:
  • facebook
  • googleplus
  • linkedin
  • twitter
  • youtube

44 comentários sobre “[SOS Cast 13] Especial Guerra no Pacífico e no Cinema

  1. Porra Barretão, além de um podcast com excelente conteúdo de entretenimento, vocês conseguiram também compilar em apenas alguns minutos, a importância e o valor da pátria para os outros “povos”. Não gostamos que falem da gente pq somos orgulhosos e não aceitamos críticas. O patriotismo americano nos irrita, pq nos incomoda, não compreendemos o valor disso. Não temos muitos “grandes heróis” e os poucos que temos ainda são contestados e, muitas vezes, desmentidos. Somos carentes de heróis, de pátria, de respeito e reconhecimento. Excelente trabalho. Parabéns
    abs!

  2. Pingback: Pablo de Assis
  3. Pingback: AnDré ZuiL
  4. Pingback: Tato Tarcan
  5. Olá Barretão! Muito legal o post sobre The Pacific & afins. É bom enriquecer a discussão com filmes que também abordaram a guerra, principalmente quando os diretores FALAM sobre o que fizeram. Dá uma visão muito mais enriquecedora do que eles querem dizer (apesar de nem sempre servirem muito, já que o produto final é o filme sem a legenda do diretor…rs…).
    Sobre a questão do nacionalismo americano, acho que tem 2 lados da coisa. Tem os que realmente falam sobre o orgulho de ser americano e outro que adora, por nada, botar a bandeirinha lá em cena, coisa que o Michael Bay adora fazer à toa…rs…
    Enfim, é isso! Abraços e sucesso!

  6. Pingback: wikersonlandim
  7. Ótimo programa, Barretão e Wikerson! Já tinha começado a escutar um SOScast tempos atrás, mas acabei largando mão. Resolvi dá uma segunda chance e conferir essa nova edição.

    Gostei bastante! Vocês tocaram em vários pontos super pontuais. Vou acompanhar melhor o trabalho do portal de agora em diante.

    Há muito tempo que tou precisando rever Falcão Negro em Perigo, entre outros filmes de guerra. Esse cast me inspirou a ir atrás deles agora.

    Um forte abraço.

  8. Pingback: LisaStarbuck
  9. Muito bom o podcast, mesmo não sendo fã do gênero, gostei muito dos comentários de vocês, da música de fundo e das curiosidades.

    Compartilho a opinião da Lu sobre filmes de guerra. Na verdade, qualquer filme que se baseia em fatos reais me emociona muito. Black Hawk Down acabou com as minhas unhas, o que não me impediu de achar o filme ótimo.

    Parabéns Fábio e Wikerson pelo excelente trabalho.

    Sucesso meninos, beijos

    1. Esse é o objetivo, Fernando. Fazer algo único, afinal, ficar copiando o que está no mercado não é meu estilo e não dedicaríamos tantas horas de nossas vidas simplesmente reproduzindo o RapaduraCast ou o NerdCast.
      Isso também facilita poder participar do RC sem “competir” comigo mesmo. E aqui não preciso ficar convencendo nenhum outro participante hahahaha.

      abs!

  10. Parabéns pela qualidade do SOS, Barreto. O podcast está de alto nível desde o primeiro episódio.
    Estou muito curioso para assistir The Pacific. Acho que vou rever meus DVDs de Band of Brothers pra ir entrando no clima.
    Forrest Gump é um filme lotado de referências à história e cultura americana. Quando assisti pela primeira vez, com meus 11 ou 12 anos, não captei nem 1/3 dessas referências. Revi recentemente e finalmente pude notar o casamento perfeito entre músicas e a cena. No caso de Fortunate Son, tem muito a ver com a guerra. E a cena em que a Jenny quase pula do terraço do prédio, ao som do magnífico solo de Freebird… putz, é de arrepiar! Gosto das músicas tocadas no podcast, e Fortunate Son foi muito bem escolhida. Creedence é bom demais!
    Abraço!

  11. Poxa,adorei este Podcast…Depois dos comentários do Cast,revi os primeiros episódios do The Pacific,Porquê realmente não tem como assistir sem fazer um paralelo com Band of Brothers,estava sentindo muita falta naquela questão de Irmandade e Companheirismo da Primeira Mini-série,eu achei que estava um Pouco “Frio” o Relacionamento entre os Fuzileiros, muito pra baixo.não sou um conhecedor de Segunda guerra Mundial,Gosto de Aprender Sobre ela nas Séries e Filmes que venho Assistindo nos Últimos Tempos,Gostei desta nova perpectiva sobre o assunto que venho aprendendo a gostar cada vez mais.
    E também, como sou um Apaixonado por Trilhas Sonoras não pude deixar de Reparar que a Música de Abertura da Série é Muito Show.Graças ao John Williams que Lá no Resgate do Soldado Ryan,Que meio Reviveu este Tipo de Música.Minha Única Pena é que ainda não pude compra a Lata em Blu-Ray de Band of Brothers IMportada,como não tenho Cartão Internacional.e preço que se vende aqui no Brasil chega a ultrapassar os $300 reais
    Parabéns de Verdade Pelo Cast Barreto,Você Ganhou um Fã,HEHEHEHE

  12. Ótimo cast! Ouço o sos deessde sem lá quando, pensei até que tinha acabado depois do cast hallowen, mas pelo visto foi só um “hiato” 😀
    Não curto filmes de guerra, mas o papel deles na industria cinematografica é inegável!
    Parabéns Fabio Barreto!

    P.S. – você funciona melhor no sos do que no rapadura! Lá eles massacram qlqr ideia ‘diferente’ ou ‘fora da caixa’. Opinião minha! 😉

  13. Pingback: wikersonlandim
  14. Acho dificil manter um podcast temático ainda mais com um meio tão cheio de novidades e vcs no epicentro delas, mas um podcast só de notícias pode ficar redundante com o q as pessoas já lêem por aí normalmente.

    Por conta disso, achei perfeito o formato que pega um tema atual (anunciar The Pacific) e o estende pra se tornar o tema do cast. Vcs tão falando de um lançamento q todo mundo quer saber, mas ao mesmo tempo que revisitam clássicos, os bastidores, a própria história do mundo e do gênero e o fazem com a paixão de verdadeiros fãs.

    Mto foda mesmo, tomara que funcione mais vezes.

    Parabéns.

  15. Faaala Barretão!! E aí, Wikerson!?

    Não companho séries, nem assisto televisão (a não ser que seja futebol e F1), então nada a declarar!
    Já sobre a parte de cinema+guerras, bom, aí posso até comentar.
    Acho que abordaram devidamente o tema.
    Desde que a sociedade se lembra de algo, ou tem alguma nota histórica, ela se lembra de guerras. Sempre as tivemos conosco. Logo, evidentemente, se tornou um tema inesgotável.
    Qualidade é algo muito subjetivo na 7ª Arte (vide o RapaduraCast sobre Alice – Parte B!!), contudo é interessante ver o quanto encontramos a história relatada de centenas de ângulos diferentes. Um mesmo fato, mil leituras.

    Uma observação que eu tenho que fazer: que final de programa!!!
    Eu fiquei – simplesmente – estupefato!!
    Ali, naquele fim de SOSCast 13, eu ouvi o Barretão que eu muito admiro falar!

    Ótimo programa, ótima abordagem!!
    Continuem assim… e entenda “assim” como “em constante evolução”, pois esta é a CARA do SOSCAst!

    Abraços!!

    Paulo (o PATUX), 26 anos, Belo Horizonte/MG, Brasil, Terra

  16. Barretão.
    Aquela explicação para abertura do The Pacific, foi roubada do Resgate do Soldado Ryan !!!
    O personagem do Tom Hanks, era um professor e era o grande capitão da tropa….

    Aqui tem um entrevista sobre a abertura da série

    Quando a questão o cinema como vendedor da idéia da guerra. Lembremos que era presente nos anos da Segunda e no pós-guerra. Porém lhe pergunto que filme que podemos citar defendendo as tropas nas guerras posteriores, Corréia e Vietnan.

    Vietnan só produziu filmes quando a guerra já estava em seu fim.

    A frase que você citou, que os EUA não conseguiriam parar o Japão. E do maravilhoso filme Pearl Harbor.

    “Sir, if we don’t protect the American mainland, the Japanese could penetrate as far as Chicago before we could stop them!” said an advisor to President Roosevelt, who nevertheless wants to strike back at Japan in a bold way.

    Deixo uma pergunta, sabe de algum filme que mostre o lado Japonês da Guerra ?

      1. Obrigado pela dica.
        Assim lhe retribuo com outra, Yamamoto, titulo de internacional de http://www.imdb.com/title/tt0451845/
        http://en.wikipedia.org/wiki/Yamato_(film)

        Um filme com cara de filme feito para tv, apesar de ser no aspecto 2.35.
        Ele mostra a história de 3 grandes amigos que são oficiais no navio. Apesar de o navio ser o pano de fundo, a honra na cultura japonesa é quem guia o filme. Tanto para explicar o por que de determinados atos do final da guerra, como para criticar estes atos, quando se olha para o passado e vê os erros se repetindo.

  17. Pingback: SOS Hollywood
  18. Sensacional Barreto! Parabéns pelo excelente cast. Estou acompanhando The Pacific e as atualizações do especial que você está fazendo, show de bola, é sem dúvida a melhor cobertura sobre o assunto para o Brasil. Assisti também Generation Kill e achei muito bom, até indiquei pra todos os meus amigos mas estranhamente poucos gostaram, diferente de Band of Brothers que todo mundo gosta.
    O que eu gosto mais do gênero guerra é que a cada filme você tem a oportunidade de aprender mais sobre história do mundo, vcs chegaram a falar sobre isso no cast.
    Também acho que falta patriotismo para os brasileiros, o que é lamentável, isso é uma coisa que deveria vir de casa e da escola.
    Abraço!

  19. Assisti a todos os episódios de Pacific quase em tres dias. Sensacional. Conseguiu se igualar a Band of Brothers e realmente lembra O Resgate pela excepcional fotografia e timing perfeitos. Queria a opinião do SOS sobre Spartacus, que tambem devorei. Ainda bem que Lost acabou… Péssima idéia e produção. Sei que estou contra a corrente mas… Parabéns pelo Cast que sempre ouvia falar no Rapadura e só agora estou baixando todos.

  20. Olá Barretão!

    Comecei a ver Band of Brothers recentemente e não consigo parar! Já terminei de ver The Pacific e é fenomenal! Mas as séries realmente são diferentes na abordagem.

    Quando eu era criança vi muito aqueles filmes do Rambo e Bradock, bem como aquela série Combate no Vietnã (Que agora a TCM vai exibir aqui no Brasil). E devido a eles eu tinha uma vontade tremenda de participar de uma guerra, pode-se dizer que era até um sonho de criança.

    Porém cresci cinéfilo, e vendo outros filmes mais na linha de Platoon, Nascido em 4 de Julho e Apocalipse Now pude descobrir os horrores da guerra, assim precisei rever riscar de minha lista de sonhos a posição de soldado.

    Tem um filme muito bom que vi recentemente chamado “The Mark of Caim”, acredito que vocês conheçam, acho muito bacana quando mostram esse tipo de drama, bem como o que é mostrado em “The Messenger” e “Brothers”. Tem ainda outro filme pouco citado é um com o Elijah Wood, onde ele e mais dois amigos resolvem se alistar para o front do Afeganistão… mas me fugiu o nome… também é um filmaço!

    Gosto ainda do filme Três Reis, Violação de Conduta e Lágrimas do Sol. Que exploram o tema, mas de uma maneira diferente.

    Sou fã do gênero, mas assim como você assisto sem a companhia de minha esposa.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *