Nos Domínios de Tony Stark

Ele é o dono do mundo e do cinema em 2010. Seu nome: Tony Stark! SCI-FI News conversou com Robert Downey Jr. no set de filmagens e é ele quem conta os detalhes do filme mais aguardado do ano, que estréia em 30 de Abril no Brasil!

Tony Stark deixou o mundo de pernas para o ar quando anunciou ser o Homem de Ferro. Entretanto, anunciar ser um super-herói e viver como tal são coisas completamente diferentes, e nada fáceis. Mudanças na vida pessoal, novos inimigos – tanto na política quanto na hora da pancadaria – e a constante luta contra sua mortalidade fazem do milionário mais arrojado do mundo um sujeito a ser batido e admirado, dentro e fora das telas. Homem de Ferro 2 é novamente dirigido por Jon Favreau e estrelado por Robert Downey Jr, Gwyneth Paltrow, Scarlett Johansson, Mickey Rourke, Don Cheadle e Sam Rockwell.

“Tony é um sujeito consciente de que pode morrer a cada missão; especialmente por viver no limite e gastar até o último minuto de energia em seu reator”, conta Robert Downey Jr. no intervalo entre as filmagens, em Los Angeles. Empolgação e auto-análise se misturavam no comportamento desse veterano das telas que pegou gosto por heróis famosos. Ele também é o astro principal de Sherlock Holmes, ao lado de Jude Law. “Tive muita influência criativa nos dois filmes. Mas isso se justifica não apenas pelo sucesso do primeiro filme, mas por encontrar apoio total.”

Pouco modesto e igualmente orgulhoso, Downey Jr. nunca escondeu o fato de ter sido fundamental para a realização do primeiro filme, fato com o qual Jon Favreau concorda e assume sem o menor problema. Downey Jr completa: “Quando funciona percebo que não são surtos provocados por excesso de café, mas por que, de alguma maneira, consigo captar algumas necessidades de cena ou do personagem. Jon e eu nos confiamos mutuamente; e ficamos surpresos quando seguimos um palpite e, no fim das contas, era exatamente o que o filme precisava. E Homem de Ferro 2 reflete isso diretamente: no primeiro filme, ele tinha os elementos para poder escapar da morte, mas agora ele se vê confrontado por sua mortalidade e não faz idéia do que precisará fazer para continuar vivo. Instintos vão servi-lo muito bem nessa jornada.”

Quem vai lembrar, e muito, o Homem de Ferro de sua mortalidade é Whiplash, vilão barra pesada interpretado por Mickey Rourke, renascido das cinzas depois de O Lutador. “Sou um burocrata agora e aprendi a ficar de boca fechada (risos)”, brinca Downey Jr. “Não é segredo que Mickey e eu vamos sair na porrada, mas o modo como isso acontece é muito único e profundo do que o pessoal imagina”. As surpresas preparadas por Downey Jr. e Favreau tem muito a ver com o conceito de adaptar os personagens ao estilo e fisionomia dos atores, não o contrário. “Muita gente tenta transformar as pessoas, mas isso pode ficar falso se não for feito perfeitamente, então adaptamos os personagens aos atores e isso funcionou de modo produtivo, pois cada um pode colaborar e inserir seu estilo neles. Especialmente Mickey, que é um sujeito excêntrico, mas brilhante.” Essa decisão agradou, e muito, ao público masculino, que pode contar com Scarlett Johansson em seu esplendor como a espião Viúva Negra.

Pepper Potts (Gwyneth Paltrow) continua na jogada, mas agora como CEO das Indústrias Stark – o que explica a elegância e charme das mocinhas que distribuíam os cartões da visita da companhia na última Comic-Con – e Scarlett faz as vezes de Natasha, a nova assistente que não compartilha a lealdade e paixão de sua precursora pelo chefe. Pelo menos não de forma sincera, afinal trabalha infiltra e esconde seu alter-ego.

Cercado por inimigos tanto em seu círculo íntimo quanto durante suas missões, Tony Stark precisa se preocupar com mais uma figura, mas no campo político e econômico: Justin Hammer (Sam Rockwell), um fabricante de armas obstinado para se tornar o próximo “Stark”. Afetado por seus constantes lembretes de mortalidade, Tony continua seguindo seu compromisso de fazer do mundo um lugar mais seguro, mas se já deixou seu “homem de confiança” irritado ao ponto de tentar matá-lo no primeiro filme, não precisa muito para imaginar as conseqüências mundo a fora. Assim nasce a parceria entre Whiplash e Hammer.

MEIO HOMEM, MEIO MÁQUINA, 100% ADRENALINA!

Embora Tony e suas novas armaduras possam dar conta do recado, o Homem de Ferro conta com a ajuda do Máquina de Combate, codinome utilizado por seu amigo Cel. Rhodey. Aliás, esse personagem foi foco de muita polêmica quando Terrence Howard não concordou com o salário para o segundo filme, levou a disputa a público e perdeu. Em seu lugar entrou Don Cheadle, infinitamente mais dramático e carismático que Howard. A existência de um segundo herói é bem-vinda e óbvia, afinal, no mundo de Tony Stark ele não é o único com acesso a alta-tecnologia. Ninguém pode dizer que o trabalho de Cheadle não será autêntico, afinal, ele sabia tão pouco sobre o personagem que jurava que o Homem de Ferro era um robô!

É uma nova relação inserida nessa dinâmica, que tem ramificações muito mais profundas do que aparentam. Downey Jr. explica: “Sem saber, Tony faz parte de um legado gigantesco. Toda a coisa da S.H.I.E.L.D. e dos heróis, que já estão em atividade há muito tempo. E também existe aquela constante fantasia entre pais e filhos, já que todo mundo, pelo menos uma vez, imagina que seu pai controla os segredos do universo e você precisa aprender tudo dele para descobrir esses segredos. É uma noção bem inocente de roleplaying, mas faz sentido. Faço isso com meu filho, é muito válido”. Estaria o Homem de Ferro já pensando em passar a bola, ou são apenas reflexos de um ator diante do auge de sua carreira? Provavelmente a segunda opção.

VEJA O TRAILER

De acordo com Downey Jr. “às vezes você passa por mudanças por conta das escolhas profissionais. E vejo um paralelo nisso com o filme também; essas mudanças acontecem de acordo com o que você quer ou, na maioria das vezes, precisa. Estou com quarenta e poucos anos e faço parte dessa grande “piada” na qual sou praticamente o Super-Homem (risos). É muito engraçado. Acreditando nisso ou não, tenho uma confiança extrema no que faço e sempre me vejo tendo uma carreira imensamente melhor e mais representativa que qualquer um que conheço. De um modo narcisistico, e meio bizarro, sempre tive essa relação muito otimista com as possibilidades.”

Quem tem mais possibilidades que Downey Jr. é o Homem de Ferro e sua segunda aventura nos cinemas. Diferente da surpresa causada pelo primeiro filme, esse novo capítulo será dissecado tanto pelo público especializado quanto pelo espectador comum, que gostou do primeiro e vai voltar aos cinemas. São milhões de críticos invisíveis, esperando o melhor, mas a postos para reclamar do menor dos erros quando as luzes se apagarem e o mundo de Tony Stark voltar à vida. Homem de Ferro 2 estréia mundialmente em 7 de maio de 2010, quer dizer, teoricamente, pois, no Brasil, chega aos cinemas em 30 de abril. (Colaborou Fernando Dias Netto)

Reportagem: Andrea Cangioli, de Los Angeles / Texto: Fábio M. Barreto
Publicado originalmente na Sci-Fi News 142

Sobre 

Fábio M. Barreto roteirista e diretor de cinema e TV. Baseado em Los Angeles, nos Estados Unidos, atuou como criador de conteúdo multimídia, mentor literário e é escritor premiado e com vários bestsellers na Amazon.com.br. Criador do podcast "Gente Que Escreve" e dos cursos "Escreva Sua História" e "C.O.N.T.E. - Curso Online de Técnicas para Escritores".

    Saiba mais sobre mim:
  • facebook
  • googleplus
  • linkedin
  • twitter
  • youtube

12 comentários sobre “Nos Domínios de Tony Stark

  1. Excelente matéria! O Downey Jr. deve ser um sarro ao vivo!

    E concordo plenamente com o final da matéria, não esperava NADA em Homem de Ferro um, vi, me surpreendi e adorei. Agora estou esperando que o segundo seja tão bom ou melhor que o primeiro, caso contrário olharei com maus olhos. Ainda mais depois da decepção com Hulk e essa política da Marvel Studios de contratar atores desconhecidos para Capitão América e Thor…

  2. Com certeza esse filme é o mais esperado do anos, está um pouco acima de todos os outros. O monstro da expectativa pode ser problemático, mas tenho plena confiança que será um ótimo filme. E Downey Jr é bem metido mesmo, hahahah… mas tudo bem, faz parte da imagem dele, do seu carisma absurdo, que combinou tão bem com o Stark.

  3. Eu sei que muita gente gostou do Homem-de-Ferro, e minha opinião pode soar como um comentário chato, mas não gostei nada do primeiro filme, (gostei só de duas cenas, quando ele faz o check list da vestimenta), o Stark está muito caricato,um playboy que age como um Mauricinho inconsequente, agora então, POP STAR, me desculpem os fãs do filme. Mas vou ler a matéria do Barreto mesmo assim.

    Só como curiosidade, na década de 80 foi lançada a Graphic Novel do Homem de Ferro CRASH, detalhe foi a primeira história em quadrinhos feita por computador, e que eu orgulhosamente tenho em minha coleção.

    1. O lado playboy foi bem enfocado por ser a característica mais vísivel do personagem. Fora que é uma história de origem, então parte do que o Stark era antes do Homem de Ferro, ANTES DE SE TORNAR UM HERÓI. Ao longo do filme ele passa a ter mais responsabilidade, até por passar pela experiência traumática do sequestro. Mas sem perder totalmente sua arrogância, lógico, pois o personagem é assim. E isso serve de alívio cômico também.

      De qualquer forma, é exigir demais que um filme de 2 horas consiga passar toda a complexidade, toda a bagagem da personalidade dele, desenvolvida em mais de 40 anos de quadrinhos.

  4. Pois é Jackson, como eu disse lá em cima muita gente gostou, e parabéns para o diretor, ele acertou na sua abordagem para esse público. Nesse caso fui eu particularmente que não gostou da história. Não tiro o mérito dele.
    Outra curiosidade, quem tentou lá no começo da década de 90 levar o personagem para o cinema foi o Diretor Stuart Gordon (RE-ANIMATOR). Ele queria para o papel de Tony Stark o Clint Eastwood ou o Paul Newman, deixa quieto, rsrs.

  5. Admiro muito os trabalhos de Downey Jr. Ele é sem dúvida a alma do filme Homem de Ferro, e por isso mesmo aguardo ansiosa a segunda aventura do herói.
    Para quem já viveu Chaplin, ser um playboy popstar que veste uma armadura e salva o dia é tranquilo. Downey Jr. tem talento, confiança e humor para convencer no papel, já fez isso e vai fazer novamente.

  6. Pingback: SOS Hollywood
  7. Pingback: SOS Hollywood

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *