[PRIMEIRA MÃO] HULK ESMAGA!

hulk1.jpg

E dessa vez, esmaga direito! Agora vai! E, claro, você fica sabendo primeiro, aqui, no SOS Hollywood!

LOS ANGELES – Não queria gostar de O Incrível Hulk. Não sei o motivo, mas entrei com três pedregulhos prontos para atacar o filme. E os primeiros 15 minutos levaram duas das pedras na cabeça, aliás, bem no meio da testa. Entretanto, escondi a terceira pedra cheio de vergonha e me perguntando como um filme pode mudar tanto com apenas uma cena? Eu não fui o único que mudou de opinião não. Vejamos os porquês. (Alguns spoilers além deste ponto. Pronto, avisei!)

Quase todo mundo sabe que o filme começa no Rio de Janeiro, mais especificamente na “Rocinha Favela – Brazil”. Sem problemas, faz todo sentido do mundo Bruce Banner – cuspido e escarrado do seriado de TV – ter ido parar lá, ainda mais no mundo globalizado de hoje. Aliás, uma menção genial e honrosa à série e ao falecido Bill Bixby arranca sorrisos dos saudosistas.

Agora, o que não faz sentido NENHUM é o fato de terem filmado uma série de seqüências, entre elas a primeira aparição do Gigante Esmeralda, num estúdio claramente fora do Brasil e colocarem atores gringos para fazer o papel de brasileiros. Resultado: um português que eu mal consegui entender em alguns momentos. Lembram do X-Men 3, aquele cara que o Wolverine corta os braços e ele regenera, levando, depois, um belo chute no saco? Então, ele é um dos “brasileiros”. Fake para diabos! Deu vergonha, pois nossa língua parece coisa de retardado mental e com pronúncia afetada.

Tudo melhora quando sai do Brasil. Até agora me pergunto como o Hulk saiu correndo da Rocinha e foi parar no país onde o Bruce Banner acorda, mas, fazer o que, ficção é ficção. Até aí era só pedrada e indignação com as presepadas pseudo-brasileiras, porém, a virada estava próxima.

E acontece mais ou menos assim. Bruce Banner estava fugindo novamente. Na chuva. Triste e desamparado. Aquela música começa a tocar. A mesma da série. E a cada acorde é como se uma gota de chuva machucasse ainda mais aquele coitado sem perspectivas. Só que diferente da série, quando ele seguia seu caminho a pé, alguém pára. A chuva continua lá, mas importa mais. Parou de machucar. Ele dá meia volta e, inconscientemente, resolve mudar os rumos de sua vida. Eu chorei.

hulk2.jpg

A partir daí outro filme se configurou, por uma série de outros fatores também. Tim Roth arrebenta, como de costume, e foi muito bem escalado. Ele é completamente alucinado e sedento por poder. E nem é aquele perfil “quero dominar o mundo”, mas sim o sujeito que adora uma boa briga e vai até o fim do mundo para uma boa peleja!

William Hurt desaponta, especialmente se comparado a Sam Elliott, e Arwen.. quer dizer, Liv Tyler ficou bem com cara de “nerd”. A ação também pega pesado daí para a frente. Por mais de uma vez me vi cerrando os punhos e inclinando em direção à tela durante a pancadaria, especialmente quando o Hulk levava porrada. É “fácil” torcer para esse Hulk e inevitável sentir pena dele.

As transformações e a atuação de Edward Norton ficaram sob medida não para criar um monstro, como no primeiro filme, mas sim um sujeito desesperado e sem saída. O roteiro merece os louros da fama, aliás, pois, quando se trata de mostrar o que é o Hulk, fez isso bem. Arrisco aqui ao dizer que deve gerar menos ódio dos xiitas que o primeiro filme. Aliás, teve outro filme? Com todo respeito ao Ang Lee (cujo longa-metragem eu não detestei), esse sim é um filme sobre o Incrível Hulk, sobre Bruce Banner e Betty Ross, não um tratado sobre a monstruosidade humana. O Incrível Hulk, acima de tudo, é uma tremenda homenagem a um Hulk muito mais conhecido que a versão dos quadrinhos: a versão da série de TV.

hulk5.jpg

Sobra até espaço para piadinhas. Especialmente quando uma calça roxa aparece na mão do Banner. Eric Bana vai sentir vergonha de existir! O Incrível Hulk é um verdadeiro filme de ação, com um herói deveras conhecido e, surpreendentemente, com boas doses de drama bem realizado. Não fosse pelo deslize de localização por conta da participação brasileira, seria um filme com poucos defeitos. E essa conclusão foi tirada a partir da reação de pessoas que, assim como eu, entraram no cinema desanimadas e saíram com caras felizes e fazendo fila para parabenizar o diretor e os poucos atores que ainda ficaram por lá.

Agora, embora não tenha visto a aparição do Capitão América que estão falando, Tony Stark está mesmo no filme e é magistral. Aliás, Homem de Ferro tem tudo para se tornar o herói da nova geração! Muito mais que uma ponta curiosa, o papel de Robert Downey Jr eleva esse Hulk a um outro nível: mais que um filme, é a segunda parte do quebra-cabeças que vai culminar com o inevitável filme dos Vingadores.

Afinal, “estamos meio que criando uma equipe”, como alguém diz no filme. E tem um sujeito esquentadinho que gostou, e MUITO, da idéia.

hulk3.jpg

Ah, e o Hulk fala.. com voz de ninguém menos que Lou Ferrigno, o verdão da série de TV! Que é homenageado de forma magnânima no filme!

LEIA MAIS:
TAPETE VERDE PARA HULK!

Sobre 

Fábio M. Barreto roteirista e diretor de cinema e TV. Baseado em Los Angeles, nos Estados Unidos, atuou como criador de conteúdo multimídia, mentor literário e é escritor premiado e com vários bestsellers na Amazon.com.br. Criador do podcast "Gente Que Escreve" e dos cursos "Escreva Sua História" e "C.O.N.T.E. - Curso Online de Técnicas para Escritores".

    Saiba mais sobre mim:
  • facebook
  • googleplus
  • linkedin
  • twitter
  • youtube

32 thoughts on “[PRIMEIRA MÃO] HULK ESMAGA!

  1. Adorei a crítica… (ui.. que coisa mais tiete… hehehehe)… eu sei pq vc estava predisposto a não gostar do filme… mas… hehehehehe..

    Quero muito ver.. espero que com vc, ai… quem sabe!
    Beijo

  2. Confesso, sou um fã do primeiro filme.
    Gosto dos atores, da história (do motivo que leva a transformação), dos efeitos, do Ang Lee…

    Enfim, mudar tudo só me deixou verde de raiva até agora… hehe…

    Mas eis que em primeira mão, leio essa notícia aqui de que o filme é bom (nota: foi assim também com o filme do Ang Lee, com a mensão honrosa de que o filme era anunciado como inteligente e que as cenas de ação não eram gratuítas).

    Bem… putz, espero que esse lance de “mudar a opinião sobre” aconteça comigo também, pelo menos agora já deu um pouquinho mais de vontade de ver o filme…

  3. O Primeiro filme, o do Ang Lee é ruim d+. Não estava muito a fim de ir ver o filme. Mas com os trailers do filme já estava querendo ver. Agora com a essa critica deu mais uma animada.
    E mais uma vez o Brasil “entra errado” em um filme. Podia ser igual ao filme Sinais, que quando fala do Brasil (e eu achei que ia falar em espanhol, como todo filme) o ator me solta um : “Cara, tá pegando isso?” ou coisas do tipo. Ai sim ficou legal. Bem que o Hulk podia ser do mesma maneira e não um Brasil em espanhol.

  4. OIBÁ! o/

    Cara, eu tb estou um pouco apreensivo com esse filme.

    Gostei da critica, mas mesmo assim vou ao cinema com pouca expectativa, assim não corro risco de quebrar a cara.

  5. Não tava muito a fim de ver o filme não, só queria ver, por causa do Ed Norton mesmo hehe, mas a sua resenha me deixou com vontade de assistir o filme pela história em si! =D
    Vou aguardar a estréia!

  6. não li tudo, por causa dos (graças a Deus) avisos de spoilers. Eu estou com mais esperança nesse filme do que no de Ang Lee, mas depois que assistir de verdade eu leio e comento algo prestável.

  7. Confesso…que não sou fã do outro filme, então não fiquei querendo ver esse ai!
    Mais depois de ler sua Crítica…fiquei com um pouquinho de vontade de ver o filme!!
    Infelizmente só quando chegar em DVD!!

    Abraços..

  8. HULK ESMAGA HOMENZINHO!!

    c essa frase aparecer no filme vou adorar ainda mais, pois diga c de passagem, o verdão eh o mais afude de todos, principalmente depois da WWH eu fiquei mais aficcionado…
    depois do grande sucesso do Ironman,e o famigerado “projeto Vingadores” q o Sammy fala no final, to ficando mais loco ainda por saber q a marvel finalmente ta tomando conta dos filmes…

  9. Sério o filme do Ang Lee não é péssimo, mas da um soninho de vez em quando…

    Eu acho que todo mundo tava achando que o filme ía ser uma merda mas tinha esperança de que não fosse exatamente uma, que fosse pelo menos muito bom, e acho que é exatamente isso, não deve ser um filme perfeito, mas deve chegar por ali!

    Confessor tmbm que se não fosse pelo Edward Norton, em nem ía saber que esse filme tava sendo feito, vamos concorda que muito filme da uma melhorada depois que ele bota a mão!

  10. Vou na contramão da galera: estava assaz empolgado com o filme e com a crítica dei uma desanimada. Pelo simples fato de que sou nerdasso fanboy de HQ. Isso de ser mais próximo da série de TV, eu não consigo achar bom de jeito nenhum. Não nego que seja mais conhecida, mas se formos pensar assim, os filmes do Batman deveriam seguir o seriado camp dos anos 60. Isso seria bom? Não, né. Outra coisa (aqui a ranzinzice se acentua) é chamar o personagem de DAVID Banner… como eu odeio isso. Sei que era assim na série, mas pra mim parece muito sem noção.

    Mas tudo isso é só um dasabafo, a expectativa continua boa, vou ver o filme tranquilo. Até porque pelo pouco que conheço da série de TV do Hulk, não era nem de longe tão tosca quanto a do Morcegão. Tirando um cara bombado pintado de verde com um peruca medonha (e gente que acha que isso seria melhor que um Hulk em CG)…

  11. Eu achei o filme do Ang Lee razoavel e como fala a critica ai eu tambem nao quero gostar do filme. Mas eu sei o motivo. Sou leitor de quadrinhos e odiei o filme do Superman Returns por que nada mais era do que uma homenagem aos filmes antigos. Nao tinha nada do que eu estava acostumado a ver nos quadrinhos.
    Esse filme do Hulk tá todo mundo falando que é uma homenagem ao seriado, quando me disseram isso fiquei com pé atrás. Vou ver o filme e sei que vou mudar de opiniao assim espero mas tá ficando um saco esse negocio de homenagear o sei lá o que da decada de 70 e nao fazer algo REALMENTE novo

  12. Parabéns pela crítica!!!
    Espero que o filme emocione e nos dê um grande espetáculo, pois o VERDÃO merece um filme decente!!!
    Sexte-feira tá chegando!!!!
    LOL!!!

  13. FABIO, parabéns pela excelente matéria!
    Legal saber que os anseios dos fãs foram atendidos nesse filme, bem como por você ter tido a honra de sentar próximo a Stan Lee.
    Assim que puder, confiro o verdão na telona.
    Saudações,

  14. Fábio, até onde eu sei, mudaram para David Bruce Banner no seriado com o Bill Bixby, nos quadrinhos é apenas Bruce mas, não tenho certeza porque, sinceramente, nunca fui fã dos quadrinhos, eu adorava o seriado, não perdia um episódio, isso há algumas décadas atrás portanto, não confie demais na minha memória de “senhoura” idosa :DDDD

  15. É o que o Nando disse, naquela epóca Bruce era um nome ultilizado para se referir aos gays de modo depressiativo, e naquela a galera mais preconceituosa doque hoje em dia não ía querer uma protagonista de uma série de tv com esse nome!

  16. Valeu pelas explicações, gente.

    Agora, ao Jackson e quem mais ficou “irritado” por eu ter usado David. Escrevi “Bruce” três vezes no texto. Apenas UMA VEZ confundi com o nome da série. Ok, errei. Agora, precisa escrever como se eu tivesse cometido a maior heresia do mundo? Pelo amor de Yoda, pô! Cambada de desocupado! huahuahuahuauhahuahuhuauha
    :p

  17. Existem duas teorias para a mudança no nome do Banner na série. Uma é a já mencionada pelo Nando e pelo Andy.

    Outra é que o produtor Kenneth Johnson não gostava de aliterações, tão presentens nos nomes de personagens de quadrinhos (Peter Parker, Lex Luthor, Bruce Banner, etc…).

    Engraçado que, apesar disso, o “Bruce” não foi descartado. O nome do personagem intepretado (maravilhosamente) por Bill Bixby era David Bruce Banner.

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *