[Crítica] A Fúria dos Homens (Fúria de Titãs 2010)

Oops!

Festival de incertezas e liberdades poéticas (!) marcam o primeiro fiasco do ano no reino dos blockbusters. Fúria de Titãs já seria um filme com problemas, mas a conversão para o 3D deu o golpe de misericórdia.

por Fábio M. Barreto,
de Los Angeles

Hollywood entende muito bem sua relação com algumas temáticas como o judaísmo, a guerra e o romance. Construiu impérios explorando essa fórmula, mas sempre deixou claro seus pontos vulneráveis: Ficção Científica e Mitologia. A FC tem sua dinâmica e, felizmente, consegue se manter graças a gigantescas bilheterias e tem vida fora do sistema dos estúdios. Lunar é o último grande exemplo. Já a Mitologia não tem tanta sorte. Recentemente, os estúdios tentaram extirpar a magia de suas narrativas para apresentar personagens mais “reais”, ou então buscaram paralelos adolescentes com Harry Potter – a prova máxima de que magia e cinema funcionam. Vale tudo, afinal, não passam de mitos e, como Mitologia é a religião dos outros [e antigos, nesse caso], a liberdade é total. Arma poderosa nas mãos de quem entende e tem certeza de sua narrativa, a liberdade se transforma em tragédia quando mal utilizada. É o caso de Fúria de Titãs (Clash of the Titans, 2010, Warner Bros.), dirigido pelo fraco Louis Leterrier (O Incrível Hulk), que, mesmo repleto de Mitologia, se mostra inseguro e confuso até na hora de contar a história de amor desse mito.

Nada funciona. Começando pelo mais óbvio: a conversão para o 3D, feita na última hora [em 8 semanas]. Sem apelo dramático e empregado pela simples tentativa de fazer fortuna com a onda do formato, o 3D assombra de maneira literal por causa do ghosting [os personagens e elementos convertidos se destacam em primeiro plano, mas também continuam no segundo plano, ou seja, o que se vê são pessoas com mais profundidade e com fantasmas/sombras de si mesmas as seguindo]. Incomoda e tira a atenção; tudo que não se espera de uma ferramenta que, teoricamente, deveria ajudar.

O mesmo vale para a liberdade poética do roteiro – que teve 4 versões, envolvendo 12 roteiristas diferentes e cuja versão final foi assinada por três pessoas diferentes – na adaptação da história de Perseu e Andrômeda [Alexa Davalos, de A Batalha de Riddick]. Essa é uma das histórias de amor mais pontuais da Mitologia Grega, cuja versão romanceada prevê que o amor de Perseu pela princesa condenada a ser devorada pelo Kraken [uma lula gigante chamada Cetus, no mito] e também sua devoção pela mãe [no mito original] o motiva a desafiar a Medusa e a ira de Poseidon.

Compreender a relação dos gregos antigos com os deuses do Olímpo se faz fundamental nesse momento. Cientes da existência dos deuses, que, por vezes, caminhavam entre os mortais e tinham filhos [Hércules e Perseu são os mais conhecidos] com mulheres e ninfas, o povo tinha suas preces atendidas, depois de muita idolatria, claro. Por conta disso, a rebelião de Argos [hilariamente grafada como Athos em várias ocasiões no Los Angeles Times] contra suas deidades. Tudo isso exagero dos surtos egocêntricos de Cassiopéia, mãe de Andrômeda, que era tão orgulhosa da filha e a declarou mais bela que as filhas de Poseidon. Como com os deuses não se brinca, ele decidiu punir seu reino [habitualmente chamado de Ethiópia, mas sem relação com a nação africana; Joppa no filme original]. No roteiro do novo Fúria de Titãs, os humanos queimam os templos e destroem as estátuas dos deuses. Querem o início da Era dos Homens e, tal qual os numenorianos de Tolkien, deveriam encontrar apenas a ruína por seu desafio e descrença. Númenor não tinha semideuses, a Grécia Antiga sim.

Mas, enquanto o Perseu adolescente de Percy Jackson se transforma no sujeito mais convencido e imbuído de sua natureza dêitica quando descobre ser filho de Poseidon [no filme], o Perseu do novo Fúria de Titãs renega ainda mais sua paternidade. Ele tem um papel social a exercer nessa sociedade envolvida diretamente com os deuses, mas o personagem de Sam Worthington se comporta como um adolescente moderno ao tentar resolver tudo com as próprias mãos, ou seja, sem ajuda dos deuses. Não aceita os presentes enviados por Zeus (uma espada e o cavalo Pégasus, que, nessa versão, é um garanhão negro) e não perde a chance de dizer que vai resolver o problema “como um homem”, mas demora para perceber a inevitabilidade de seu destino. Ele não tem um botão que desligue suas habilidades. Não é à toa que é o único capaz de decepar a cabeça da Medusa.

A birra praticamente adolescente quebra o encanto da história e desmerece suas intenções. Ele não faz pelo povo, nem pela princesa – com quem não tem contato algum – mas sim para provar que pode. É a essência do ‘herói moderno’ revisitado à exaustão desde o Neo, de Matrix. Seus talentos contra o mundo, sua própria fé quebrando barreiras enquanto soldados e civis morrem aos montes ao seu redor. É o pior uso já registrado da Jornada do Herói. Perseu não cresce, se mantém monotemático e sempre no mesmo tom, ao longo da trama. Cumpre seu destino muito a contragosto. E se nem o personagem principal está contente com a história, como agradar ao público?

Li uma versão anterior do roteiro [a segunda], cuja figura de Perseu era uma figura mais militarizada e não o pescador do filme final. Daí entende-se a disparidade de idéias que pontuaram essa produção que, colocada na mão de um diretor de aluguel e sem a menor identidade, atirou para todos os lados. Há disparidade mitológica, dramática e visual, além da inconsistência provocada pelo 3D [que se comportava da pior maneira possível sempre que tinha uma oportunidade]. Perseu é semideus, Zeus e Hades são deuses e o Kraken é um monstro marinho controlado originalmente por Poseidon [no filme, Hades é seu mestre]. Não há nenhum Titã presente [no clássico de 1981 Thetis estava presente, em intepretação de Maggie Smith]. As diferenças são tantas que fazem questionar ainda mais a escolha do termo “remake” para essa produção. Desnecessário e improdutivo, afinal, comparar é inevitável.

Enquanto a fantasia romântica de 81 apostava na história de amor, definia Perseu como o bom moço e Calibos como vilão [deformado, castigado pelos deuses, dedicado à ruína do herói], a nova versão não define suas barreiras. Por vezes são os deuses exigentes, noutras são os homens egocêntricos, mas mesmo os soldados que desafiam Zeus acreditam em sua força. Não é questão de fé, mas sim de medir forças. Tarefa inglória, mas popular nessa Argos com ares de Sodoma e Gomorra. Outra linha de raciocínio é uma jogada de mestre de Zeus para conter o ímpeto de Hades, eternamente insatisfeito com seu lugar no Mundo Inferior.

Não há Titãs, assim como na versão original. Entretanto, uma menção: o Kraken teria dizimado os Titãs em batalha. Nenhuma referência histórica ou mitológica, basicamente um elemento para aumentar o medo da criatura com a qual Perseu não chega a lutar, afinal, apenas a cabeça da Medusa pode derrotá-lo. Além da mulher serpente, o herói enfrenta escorpiões gigantes em batalhas sem emoção [saudade de Ray Harryhausen nessa hora, aliás] e confusas; e encontra até mesmo Gênios, em mais uma versão sombria e mística dessa figura mitológica [cujo rosto lembra, e muito, um mini-Optimus Prime].

Pouco se salva dessa cornucópia de referências e conceitos jogados a esmo. Liam Neeson se esforça como Zeus, mas só prova que é possível fazer um filme dos Cavaleiros do Zodíaco; os demais deuses do Olimpo são meros figurantes. No que deveria ser um dos melhores momentos – o embate entre Zeus e Hades, pairando no topo do mundo – o roteiro exige pouco de Neeson e Ralph Fiennes. A presença de grandes nomes foi herdada o filme de 1981, que tinha Laurence Olivier como Zeus e Maggie Smith como Thetis e Ursula Andress como Afrodite.

Fúria de Titãs tenta ser grandioso que deixa de ter essência. Falta carisma a Perseu, falta relevância no roteiro, falta um inimigo verdadeiro. Hades é imortal e o Slusho [monstro do Cloverfield], ou melhor Kraken, tem destino certo. É uma jornada injustificada. Um fracasso titânico. Um vexame em 3D.

Felizmente, também entra em cartaz The Secret of Kells, animação irlandesa indicada ao Oscar de Melhor Animação, que aborda mitologia e espiritualidade do jeito certo. Há salvação, mas longe de Hollywood.

Fúria de Titãs estréia no Brasil em 21 de maio.

==
Assista em 2D.

Sobre 

Fábio M. Barreto roteirista e diretor de cinema e TV. Baseado em Los Angeles, nos Estados Unidos, atuou como criador de conteúdo multimídia, mentor literário e é escritor premiado e com vários bestsellers na Amazon.com.br. Criador do podcast "Gente Que Escreve" e dos cursos "Escreva Sua História" e "C.O.N.T.E. - Curso Online de Técnicas para Escritores".

    Saiba mais sobre mim:
  • facebook
  • googleplus
  • linkedin
  • twitter
  • youtube

73 thoughts on “[Crítica] A Fúria dos Homens (Fúria de Titãs 2010)

  1. Nossa depois dessa critica fiquei com medo, a alguns dias atras
    Louis Leterrier disse que adoraria dirigir o filme dos Vingadores e
    adaptar Y – o ultimo homen, ele só esta esperando o convite.

  2. Ótima crítica, como sempre.

    Eu nunca gostei da maioria de filmes sobre a Mitologia Grega, pois, embora eu a ache muito interessante, nunca gostei desse tratamento ‘ninguém mais segue essa mitologia, não vão ligar’ que a indústria dá a ela. Principalmente as alterações nas personalidades dos personagens, que, se aplicada a um filme de uma religião ainda forte, causaria protestos, e até a proibição do filme, não duvido. É uma pena ver mais um filme que aparece com o mesmo problema.

    Sobre o 3D, isso é algo que eu sempre pensei que poderia acontecer: a indústria, de certo modo, não entender a idéia, e começar a fazer filmes com 3D ‘improvizados’, feitos de última hora só para suprir essa demanda atual. Demanda que, eu acho, não é nem necessária nem viável atualmente.

  3. Ótima análise, transcendendo o universo fílmico e abordando questões que vão além do filme em si, como toda obra de arte deveria abordar – e não apenas o mais do mesmo da análise fria e técnica de uma obra fílmica. Particularmente, ótima a menção a Númenor, já que a própria mitologia básica de Tolkien bebe de fontes diversas, incluindo as clássicas comuns a todos os povos.
    Desde o início já tinha essa noção de que Perseu seria mais um “fodão” querendo provar que era “o cara” e menos um personagem mitológico. É um dos problemas da era moderna: a idéia de que o herói moderno precisa ser uma evolução dos mitos básicos, quando na verdade ele acaba se tornando um retrocesso, negando os princípios básicos que… veja só, são a base de sua essência.
    Adoro o filme de 81, e espero muito o novo filme, mesmo seguradas as expectativas. Mas não espero que seja algo para marcar.
    E só discordo de uma coisa: o primeiro fiasco blockbuster do ano não é esse, e sim “Legião”. Esse é uma decepção e todos os seus poros.

    1. Fabio, Legião não foi um blockbuster, nem em orçamento e nem em tratamento. Tanto que no Brasil foi direto pra DVD. Ele sempre foi um filme mediano. 🙂

      Obrigado pelo comentário! É bom quando alguém compreende o objetivo de um trabalho! 😀

  4. @dancafeina
    Putz EPIC FAIL mesmo! A cada parágrafo minha expectativa caminhava em direção ao lixo. EH neh? Vou assistir de qualquer modo, mas ainda bem que vc salientou a sujeira que é a projeção 3D… Tipo controle de qualidade zero né? Agora fiquei na dúvida se devo esperar o mesmo 3D nascoxa em “Harry Potter e as Relíquias da Morte” uma vez que esse também foi “laminado” de ultima hora?

    1. Paulo,
      Nunca recomendo que não assistam. O filme foi feito, está no cinema, bora ver. Mas veja em 2D, sua experiência pode ser melhor do que a minha e, quem sabe, até gostar. Acho difícil, mas o 3D foi distração.

      Quanto ao HP, estou com medo, muito medo, disso. Vai ser o mesmo sistema. Mas eles vão ter mais tempo, talvez, isso ajude.

  5. Uma pena, de verdade. Esperava muito desse filme, e agora surgem as críticas detonando-o. Basicamente por conta do roteiro. Fazer o que… vou conferir de qualquer jeito, em 2D. Essa conversão de última hora é querer ganhar dinheiro sem trabalho, na malandragem pura. Merece ser boicotada.

  6. Bom, acho válido as suas críticas, mas preciso ver com meus próprios olhos…mesmo porque nem sempre eu concordo com a crítica especializada…
    a crítica especializada falou muito bem de “A vida é bela” e de “Beleza americana”, eu acho os 2 filmes um porre!!!
    Portanto, que venha Fúria de Titãs, ansioso por assistir!!!

  7. Pessoal é o seguinte, se tratando de mitologia deve-se entender vários pontos de vista, inclusive ser um grande estudioso para de alguma forma entender a mente dos homens em meio aos deuses. Foca-se pontos diferentes se tratando de mitologia, o filme sim é uma adaptação, contudo qualquer conhecedor de mitologia sabe que todos os heróis renegavam os deuses pois sabiam como eles exploravam os humanos, Perseu não era diferente, Hércules por anos confrontou Zeus, Medusa por ser uma amazona maravilhosa foi transformada em Górgona e outros casos mais podem ser citados. Existe sim um vilão real e é a luta pela liberdade, uma falsa liberdade que os Deuses não dão aos humanos nessas histórias, é fácil ser um ZEUS entrar num quarto e com poder seduzir e engravidar uma filha de algum rei, mas alguém ae sendo pai desta filha acharia isso certo? Quanto a tecnologia ela apenas nos leva a um ponto visual, embora eu ache sim que a história ficou muito a dever, foi um maravilhoso espetáculo de filmagem e produção já que tudo isso fica muito caro e o elenco foi fantástico, assisti mesmo em inglês, achei fantástico sim e é bom que todos deem um voto de confiança para dar asas aos pensamentos sobre liberdade pois falam muito para que possamos enfrentar os dias de hoje. Luiz 28 anos (14 anos dedicados ao estudo de mitologias).

    1. Claro que mitologia é algo que deve-se levar em conta a ideia e não a maneira contada, porque o que mais tem.. são versões de uma mesma historia… (vide mitologia arturiana, que existem milhoes de “origens” [e nao digo isso so dos livros atuais, mas sim dos contos em ingles arcaico].

      Mas se contassem a historia de Perseu, com outro “nome” de filme, acho que seria um ponto positivo para a película, mas ainda assim não faria da mesma, um filme tao bom assim.

      O filme basicamente tentou ser um “God of War” meia boca, utilizando o nome de uma “mega produçao” clássica do Ray Harryhausen…

      Desde a 1a. foto, eu ja fiquei com pé atraz do filme mas tentei botar fé…
      Quando vi o 1o. trailer ja achei uma merda de adaptaçao.. ENTRETANTO achar ruim antes, as vezes é bom, porque qq coisa boa do filme vai ganhar muitos pontos positivos.. hehehe (tipo GI Joe, que é zuadaço nos trailers e tudo mais, mas foi divertido assistir no cinema)…

      Tentei assistir o filme já com outros olhos.. para qualquer filme, mesmo sabendo spoilers, assistindo trailers, procurando fotos… eu sempre vejo como se fosse algo novo, e sem espectativa (eu me surpreendo até com coisa q eu sabia que aconteceria, hehehehe)…

      Mas ainda assim, o filme não ajudou… continuo achando o Sammy Wortorto um “Cigano Igor”….
      Como já citado pelo Barrento, o Liam e o Ralph não são bem “utilizados”.. é o mesmo que colocar o Anthony Hopkins pra fazer papel de “Porta”. (tá.. tá.. o Tony faria a melhor porta da historia do cinema, mas ainda seria uma porta, hehehehe)

      A historia é muito plena… não há profundidade que por exemplo existe até no filme antigo, em que o perseu tb é um ator “mea boca”…

      Tentaram utilizar tudo do filme antigo, até a coruja Bubo (que achei uma PUTA falta de respeito o que fizeram…)… mas utilizaram MUITO mal cada uma dessas “homenagens”…

      E sobre a mitologia em si, no filme, achei que pecaram em varios pontos…
      para deixar a “leitura” mais facil…

      e…..
      sequer entro no merito dos efeitos, porque hoje em dia, todo filme tem efeito especial, e isso não faz do filme ser um “filmaço”) <- prefiro filme tosco com puta historia e atuação.. do que uma mega producao escalafobética com pessima atuaçao e historia.

  8. Bom, pra início de conversa desperdiçaram a atuação de Neeson e Ralph Fiennes com um roteiro pobre. Já não gostei! rs… Ambos estão entre meus atores favoritos.

    Adoro mitologia, a grega especialmente. Comecei a ler sobre o assunto com 12 anos. Me entristece demais quando estragam assim essas histórias fantásticas!!!
    Não assisti esse filme, mas já perdi a vontade. Não vou pagar pra ver no cinema e nem em DVD. Vou esperar passar na TV… porque se é pra passar raiva, prefiro não gastar a mais.
    Mas vou procurar o filme de 81.

    Outra coisa que acho lamentável é essa pobreza de idéias da qual hollywood E o mercado literário vêm sofrendo ultimamente. Tudo gira em torno de remakes e/ou adaptações de quadrinhos, games e etc… e/ou se alguém tem uma idéia – mesmo que de gosto duvidoso – que vende, todo mundo vai atrás [sim, to falando tanto dos vampiros quanto da tecnologia 3D].

    Avatar mesmo… foi uma novidade em termos tecnológicos e visuais. Maravilhoso de assistir. Mas o roteiro é fraco e parece uma compilação de vários roteiros antigos.

    O que anda acontecendo com esses roteiristas?!
    Faz tempo… muito tempo… que não sinto prazer em ir ao cinema pra ver um roteiro que realmente me surpreenda, me conquiste, me encante…

    E pra quem gosta de Mitologia Grega, estou gostando muito da série do History Channel: Confronto dos Deuses.

    1. neste sentido, ja nao acho “pra tanto”….
      o filme tem seus problemas.. talz… peca em varios aspectos… mas a ida ao cinema AINDA É VÁLIDA….
      vai na fé cris…. só nao precisa pegar 3d… mas 2d até vale a pena sim… é uma aventura como qualquer outra (digo.. vai entreter.. e é isso q vale)

  9. PRESADOS AMIGOS!!!
    BOM, COMO UM INTUSIASTA DE FILMES GOSTO MUITO DE MITOLOGIA ACHO LINDO OS CONTOS E LENDAS ACHO Q CADA PAIS TEM SUA COUTURA, E ESSE FILME ESTOU ESPERANDO CONCERTEZA PRA ASISTIR, ACHO A CRITICA INTERESANTE POIA O QUE SERIA DOS FILMES SE NÃO FOSSE AS CRITICAS E ACHO Q VALE APENA ASISTIR A ESSE FILME,
    COM ERROS OU SEM ERROS, E JÁ ASISTIR AO CLASICO DESSE FILME O MAIS ANTIGO
    E ESPERO ANSIOSO PARA QUE ESSE CHEGUE LOGO!!
    E PARA AQUELES QUE NÃO GOSTEN DE MITOLOGIA, AI VAI UM RECADO.
    CADA UM TEM UM GOSTO GOSTO MUITO DE LER, PRINCIPALMENTE LIVROS BRASILEIROS
    QUE PRA MIN SÃO BASE, MAIS FALAR QUE NÃO GOSTA DE MITOLOGIA, PASSAR UMA NOITE DE CHUVA LENDO UM BOM LIVRO DE CONTOS E LENDAS SOBRE MITOLOGIA ACHO NÃO SABE OS PRASERES DA VIDA!!!!

  10. Agora fiquei com medo! Ignorei esse tão comentado e criticado papo da conversão para o 3D, mas depois da “Fúria de Fabio Barreto”, fiquei com as pulgas atrás das minhas duas orelhas. Pior que gosto muito do original…

    Abs!

    1. O.,

      Acho que o problema aí é o Letterier: enganador dos melhores. Diretor de aluguel, sem decisão, sem certeza. Ontem, vendo o trailer, notei que o Kraken aparece em esplendor no comercial, então, pra que ficar 5 minutos mostrando o bicho sair da água? Sei lá, é tentar criar grandiosidade para elementos não condizentes.

  11. Poxa, tava esperando tanto desse filmes =(
    Mas vou ver da mesma maneira, so que agora vou ver em 2D. =P
    Quando assistir comento aqui. Adoro mitologia e os trailers dessa filme me deram ate calafrios, fico triste se realmente for ruim =(

    Abracos

  12. Sou apaixonado por mitologia grega, mas sinceramente, esse filme é um fiasco. O filme Percy Jackson e o Ladrão´de raios é de longe muito melhor e isso sem falar dos livros da série Percy Jackson e os Olimpianos que são demais, pra quem não leu eu recomendo e pra quer ver Furias de Titãs, pode ter certeza, não vale o preço do ingresso

  13. Crítica honesta, é isso mesmo, fui péssimo, eu que ainda guardo na memoria o filme de 81, que dava um medo, mas foi uma desilusão, a maquiagem do hades é de chorar, e a mãe dele dava pra ser muito bem a namorada, por isso n convence mesmo e comete injustiça, pois esta história é muito interessante e não merecia virar cavaleiros do zodiaco , enfim, fazer o q…

    o 3D atrapalhou e muito

    abçs Luc

  14. “Poizé”, Barreto tenho que concordar com você em gênero, nº e grau. Assisti a uns dois dias esse filme e achei bem morno mesmo, pra não falar outra coisa. O filme não empolga em nada, lutinhas pífias. Não deu.

    Foi falado do lance da corujinha, do Kraken, e a Medusa então, que vive banida em uma caverna e usa um sutiã pra quê?

  15. No filme original havia um titã sim, era Tetis, interpretada por Maggie Smith. Mas ela é chamada de deusa, apesar de na mitologia grega Tetis ser uma titânide.

    Lamentável foi ver Danny Huston quase apagado no filme, e os outros deuses nem aparecem.

  16. Este filme tem toda a cara de feito às pressas e, principalmente: CHEIO DE CORTES E MAIS CORTES!

    O ótimo ator Danny Huston faz o Poseidon, mas quase nem aparece!

    Os demais deuses nada falam!

    Introduziram um monte de guerreiros gregos desnecessários, que não tinha no outro filme.

    No filme original, Argos é destruída logo no início do filme e Joppa é a cidade ameaçada.

    Acrisius e Calibos são indivíduos diferentes no filme original, aqui são o mesmo cara!

    O pior é que dá muito espaço para atores ruins e pouco espaço para os bons.

    Só mesmo os grandes atores Liam Neeson e o Ralph Fiennes para dar algum valor desta bomba!

  17. Vou assistir mesmo assim… quase deixei de ver o ótimo Robin Hood por conta de inúmeras críticas, quem tá pagando pelo cinema sou eu, então sou eu quem vou julgar por mim mesma se o filme é bom ou não. E espero q esse seja bom também!

  18. É exatamente o que eu havia pensado… Um filme um tanto quanto “chato”. Não pela história, que acho até interesante a abordagem desse tema, afinal de contas eu adoro Cavaleiros do Zodiaco, kekekekke… Mas falando sério, só pelos trailers que viamos já sabiamos de cara que seria uma bomba. E outra, quantas horas esse filme tem? Dependendo do tempo eu não vou ao cinema, se for mais de 2:30. ¬¬
    E Fábio, suas críticas estão cada vez mais completas e repletas de informações. Adorei a comparação com o monstro de Cloverfield, kekekeke…
    E Super 8 tá vindo aí, uam nova entrevista com J.J. também, rsrsrs…

    Abs!!!

    Willtage 😉

    1. acho que seu comentário apenas demonstra sua implacavel ignorancia. um dos principais pontos apontados por quaisquer criticas feitas ao filme é a decepção frente a um trailer muito bem editado. Eu, ao contrario da maioria aqui, ja vi o filme em 2D. gostei tanto que voltei para assistir o 3D, que nao eh um mau investimento. eh claro que com o curto tempo de conversao, nao existem grandes destaques 3D, mas a ediçao ficou muito bem feita e com certeza vale a pena assistir o filme!! ja eh um dos meus filmes preferidos, e estou ancioso pelo 2. concordo com alguem ai pra cima que escreveu “quem ta pagando sou eu, entao eu vou ao cinema tirar minhas proprias conclusoes”. adorei o fato do desse barreto ai nao tem qualificaçao nenhuma para escrever critica de cunho algum. apenas mais um ze ninguem querendo tirar proveito dos outros, e sendo aclamado por voces, ignorantes. essa sociedade decepciona, after all, ignorance is freaking bless!!

      1. Reservo esses comentários a poucos sortudos:

        “a porta é serventia da casa, paulo”. se você é um ignorante que gosta de agredir as pessoas, então não merece nem o tempo de um contra-argumento. Ignorante é quem não argumenta, mas sim aponta sua vontade como definitiva ou superior. esse texto analisa o filme, mas foi demais para sua mentalidade agressiva. várias pessoas discordaram da crítica e participaram de um debate. Ignorante é aquele que não permite ou não participa da discussão, mas só sabe ficar bravinho.

        passar bem.
        essa sociedade decepciona ao permitir que covardes como você possam dizer o que bem entendem e depois ainda se acharem os “bonzões”.
        e vai aprender inglês, pois o termo é “ignorance is bliss”. seu ignorante!

      2. Aos interessados,

        Esse Paulo, também conhecido como covarde anônimo, mostrou sua verdadeira face numa série de comentários de baixo nível. Todos foram apagados. Aqui é lugar de discussão, não de frustração de pessoas desprovidas de moral, lógica ou cultura.

        Seja feliz em seu reinado anônimo e faça o favor de nos polpar de suas tentativas de provocar alguém. Não é digno nem de pena.

  19. Uma bosta esse filme. Há muito tempo nao via nada tão ruim no cinema. A primeira meia hora é a pior primeira meia hora q eu já vi, que constrangimento interminável. Deu pena de Ralph Fiennes e Liam Neeson.
    Framboesa garantida à todos os envolvidos.

    O Barreto não pode falar, mas eu falo “Não vejam!”.
    Só de imaginar q várias vítimas vão pagar quase 30 reais pra ver isso em 3d me deixa desconcertado.

  20. Não se fazem filmes como antigamente. Hoje em dia, imbutem o 3D para dar um “up” e um “q” na película. Porém, a tecnologia não salva o filme. Quando não, fica pior ainda (vide o 3D de Alice – na minha opinião, era melhor sem).

    Parabéns pelo site. Não conhecia. =)

    Saudações

    Marcus, Criativo de Galochas

  21. Engraçado, curti o filme. Pode não ser condizente com o original (que tenho muita vontade de ver também) ou com a mitologia mas é um bom filme no fim das contas. Achei o começo um pouco fraco mesmo, mas depois que engrena rola muito bem. Só achei que acabou meio curto, a história é bem simples mas tem força. Não acho que simples seja necessariamente fraco.
    Também curto o Leterrier, desdo Incrível Hulk, inclusive a versão comentada dele foi uma das melhores que eu já tive o prazer de assistir. Ele pode não ser um grande mestre mas é competente no que faz e faz filmes bem legais diferente da sua opinião. Mas enfim cada um com a sua né manolo

  22. Corrigindo: no filme original há um Titã. Thetis, interpretada pela ótima Maggie Smith, que fica furiosa pelo tratamento dado ao seu filho, e também pela soberba da mãe de Andromeda.

  23. Fabio, voce e’ um “legendary” diretor. Adorei ver que vc concordou com o que eu tinha pensado. o novo Furia DOS tITAS E’ UMA PORCARIA. nAO TEM NADA A VER CCOM ODE 81, QUE E’ MARAVILHOSO, COM ATUACAO, NARRATIVA, amor, mitologia, Deuses poderosos e sabios…amo aquele filme, desde pequenina. Odiei o novo. Que droga de filme! Prova que Hollywood is really losing the plot…literally!

  24. O filme foi feito para divertir,o que realmente faz. Tive saudade da corujinha do filme de 1981. Em Fúria de Titâs 2010 faltou originalidade,romantismo,fidelidade a Mitologia grega,mas os efeitos especiais são bons. Gostei muito. Não foi construido para ganhar Oscar nenhum.Mereçe nota 8!

  25. Seu texto ficou me disse bem mais do que muita coisa no filme. Assisti o trailer desse filme umas 300 vezes no youtube, aguardando ansioso pra assistir no cinema. Saí de lá frustrado. As batalhas que foram projetadas pra existir (pelo menos tive essa sensação ao longo do filme), não existiram! Fizeram uma festa em cima do Kraken pra ele ser derrotado em 5 segundos. Tudo bem, pensava eu na cadeira do cinema. Agora deve ter uma batalha boa entre Hades e Perseu…Vai valer o ingresso, certeza! Como fui ingênuo Outros 5 segundos de batalha! Com toda a tecnologia dos tempos modernos, tentaram valorizar o filme graficamente e esqueceram de dirigir adequadamente o conteúdo!!! Aliás, as únicas coisas que tiveram destaque foram as aparições do Kraken e da Medusa. Pra quem jogou God of War no Playstation, talvez possa encontrar algum sentido no filme. Se não conhece, jogue por meia hora e verá que estou certo.

    Falando de coisas boas, parabéns pelo ótimo texto.

  26. Bom, pessoal, estava mega ansioso para assistir o filme, mas, realmente chei muito fraca a história do filme, roteiro e direção. O filme é muito embaraçoso e muito sem desfecho e sem objetivo nenhum. O efeito 3d eu achei muito bom e os efeitos especiais também. O filme poderia ser bem melhor, pois contém vários aspectos que tornariam o filme inesquecivel.

  27. Pataqueopariu!!!! Mó decepção, num tem merda nenhuma de 3D e pelo q eu eu lí um bom filme 3D leva no mínimo 6 meses de produção, já essa porcaria foi feita nas coxas, um 2D em apenas 8 semanas, nunca daria certo!!!
    Pra quem curtiu o clássico, vai se decepcionar com essa versão. Sem contar que o ator q interpreta Perceu, que alías mandou bem em AVATAR, deixou muito a desejar em Furia de Titas, o cara não tem carisma nenhum, e eu tava mesmo é torcendo pra Meduza… hauhauha
    Mas falando sério, pra quem curte um filme super rápido tipo “cinema em casa” , atuação meia boca, efeitos chinfrins, não gastem com 3D!

  28. A melhor crítica sobre o filme já publicada na minha opinião.
    O Fábio foi perfeito em todas as colocações!
    Ele só esqueceu de comentar que a Medusa tinha o rosto de modelo da Vitoria Secret (se não fosse pelas serpentes na cabeça)!

  29. Adoro o filme de 81, tem historia! E o perseu daquele filme é muito mais interessante e carismatico que este aí, cara de oficial do exercito americando. Pra quem gosta de ação e bichos legal, no resto a historia foi toda desmontada e traz pouco da versao de 81.

  30. Não é uma refilmagem da versão de 1981, é um novo filme sobre a lenda de Perseu, sem fidelidade com as circunstancias da mitologia original mas focado na ação pura e simplesmente .
    Não tem a pretensão de tese sobre mitologia grega, é pancada com cenário grego de fundo e liberdade de expressão.
    Assistam em 2d. E curtam um pipoca assumido.

  31. Assisti em 3D. A única cena que vale a pena em 3D é a do início, do Universo. O que me faz pensar que se fosse feito REALMENTE pra 3D, ia fazer todo mundo ter orgasmos.

    Assisti em 3D porque a diferença era só dois reais e porque eu nunca tinha visto filme em 3D (faz tempo que não ia ao cinema).

    O filme em si até que é bom. Não acho dinheiro jogado fora. No entanto, não acho que é um remake. Acho que é uma apropriação do nome e que ele é livremente baseado no clássico.

    Eu esperei o filme inteiro pelo RELEASE THE KRAKEN, que infelizmente, pareceu mais um: Mulher, solta lá o cachorro pra ele fazer xixi.

    O Hades tem Psoríase.

    A cena dos deuses no olimpo. Foi fantástica. Eu fiquei olhando pro planeta nos pés deles. É lindo. deveriam ter explorado mais.

    Infelizmente, foi um filme pra explorar o nome e sabendo que quem assistiu o original, ia assistir esse e quem é filho de quem assistiu, ia assistir também.

    Mas se você assistiu o maravilhoso original (em stop motion, mas foda demais), e tá esperando algo parecido, desiste. Vai achando que é uma versão com muita liberdade poética do antigo.

    E o Kraken é o irmão cheio de dedos do Cloverfield.

    E quem é fã da mitologia grega, vai com a mente aberta, porque tudo ali foi assassinado. Ha ha ha.

    Eu que sou fã de mitologia grega e do original, me preparei muito antes de assistir.

    Vai, é bonzinho. Mas se você quer economizar grana, assiste o 2D. A única cena que vale a pena é o inicio, com o universo. E os trailers. XD.

    E se vc quer economizar ainda mais grana, espera pelo dvd. Isso praqueles que são perfeccionistas.

    A meu ver, é um filme bonzinho. Se vc ignorar o assassinato da mitologia, a adaptação livre e o “mamãe eu quero fazer tudo do meu jeito” do Perseu, o filme é legal, bem legal.

    E eu ainda não entendo pq todo mundo acha que pra fazer zeus parecer mais divino, tem que jogar um holofote contra a armadura dele… -_- E daí na cena final, ele aparece vestido como um MENDIGO. Ahhhh ce fu!

  32. Fora o fato de que ele passou o filme todo deixando TODO MUNDO MORRER porque ele não queria usar os presentes divinos, a maldita espadinha.. e na batalha final… ele apena pra tradicional arma de Zeus. Francamente….

    E tanto na mitologia qto no filme, Perseu mostrou a cabeça da medusa e acabou. Cetus foi morto rapidinho. Não teve nenhuma batalha épica não… Mas eu queria TANTO ver a Andromeda no rochedo, chorando.. e ficando bronzeadinha..

    E ALGUÉM ME DIZ O QUE FOI AQUELE FANÁTICO PASTOR HINDU!!!!!

  33. olha fabio,
    sua critica me abalou um pouco, sendo que eu vou ver esse filme hoje de tarde, dublado, sózinho, ( minha namorada não pode ir).
    mas vou ver sim, adoro os filmes do protagonista, acho que ele consegue fazer com que atuar seja fácil.
    vou ver o filme e espero não me desepcionar
    sem contar que o trailer do filme foi ótimo, fazendo com que o filme pareça realmente bom

  34. Concordo com quase 100 %. Só uma ressalva, há dois titãs no filme. o Kraken é um. A medusa é o outro.

    Em uma parte do filme há o diálogo: “Coloque um Titã contra o outro”, referindo-se aos dois.

    abs,

    Will

  35. Assisti o filme nesta semana com esperança de relembrar o clássico (que adorava ver na minha infância, quando passava na Sessão da Tarde, chegava faltar o colégio para assistir), porém a decepção foi proporcional ao tamanho do kraken.Parabéns pelo comentário, disse exatamente tudo, o filme é daqueles que na metade você torce para acabar logo.
    abs

  36. acabou q os deuses ficaram como figurantes no filme. já começa ai. cada um tinha q ter uma participação boa do filme, eles ficaram en segundo plano dando enfase praticament so no zeus, perdeu, hades e Io. fora q o perdeu era realmente um adolescente que SE ACHAVA o top pra dstruir como homem normal. achei fraco, muito fraco. e o 3D? nem se faleee, a unica coisa 3d ali é a legenda. e eles podiam ter utilizado bem legau esse recurso pq tem partes muito boas pra ficar em 3d, q em formato 2d nao deu tanta empolgação. miado. nao vê em 3d :~ mais ve o filme 😀

  37. mais eu queria aquel pegaso pra mim 😀 mais foi mt onda essa filme olha, msmo assassinando tuuudo. 😀 é divertido. tem q ir assistir mais esqcendo mitologia, pq ta uma mitologia moderna ali. eu estava super anciosa pra ver o filme e imaginei q em 3d eu fosse pirar. BOM se tivesse efeitos em 3d eu piraria, pq tem cenas do filme q ficariam top dmais, cmo a parte do fogo. maaaas fazer oq, esperar melhores agora. 😀

  38. Realmente A versão de 81 é muito melhor que este lixo que fizeram eu e minha namorada que somos fanáticos pela primeira, detestamos essa nova versão.
    A coruja mal apareceu e já saiu!!Era melhor nem ter a colocado então! Hoje em dia mesmo com essa tecnologia eles não sabem fazer filmes com antigamente. Olha só o Hulk e o King Kong ficaram um porcaria a a primeiras versões são as melhores mas ainda há esperança.
    Um abraço!!

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *