Jornalista Argentina Critica Brasil em Especial de “Os Simpsons”

“Eles [os brasileiros] são como adolescentes e ainda não sabem receber críticas”, diz correspondente argentina baseada no Rio de Janeiro em documentário sobre Os Simpsons.

A notícia é velha: os Simpsons visitaram o Rio de Janeiro, encontraram filas de rumba, ratos coloridos como Skitles, Homer foi seqüestrado e gangues de macacos atacavam as pessoas nas favelas. Entretanto, o assunto foi relembrado na noite de ontem [10 de janeiro de 2010] quando o especial de 20 anos de Os Simpsons[bb] foi exibido em rede nacional pela FOX. Além de episódio de aniversário, o canal exibiu um documentário – The Simpsons 20th Anniversary Special In 3-D On Ice – dirigido por Morgan Spurlock, o mesmo criador de Super Size Me. Em visitas à America Latina, Spurlock mostrou uma fábrica ilegal de cerveja Duff em Buenos Aires e, claro, levantou a polêmica envolvendo a visita da família ao Brasil. O momento de surpresa surgiu quando ele entrevistou uma jornalista – Paula Gobbi, argentina que vive em nosso país há 16 anos, e presidente da Associação dos Correspondentes de Imprensa Estrangeira no Brasil. Sem considerar o tom blasé com o qual analisou o episódio, suas declarações foram para lá de inflamatórias.

Perguntada sobre a possibilidade de o povo brasileiro ter recebido a “homenagem” como brincadeira, a jornalista negou o aspecto humorístico e aproveitou para alfinetar. “Eles [os brasileiros] são como adolescentes e ainda não sabem como receber críticas”, foi o principal comentário. As reações ao episódio de 2002 geraram repercussão na mídia e envolvimento político, além de deixar parte da população carioca irritada. Um breve resumo retirado da Folha de S.Paulo:

“Na época em que o episódio de Os Simpsons foi exibido nos Estados Unidos, o governo brasileiro não gostou do modo como o país foi retratado no seriado. Além de cometer vários erros grosseiros (os brasileiros falam com sotaque espanhol, a Amazônia é vizinha do Rio e as pessoas andam em filas de conga pelas ruas), o episódio pinta uma imagem nada desejável do Rio de Janeiro (um dos personagens é sequestrado, há cobras e macacos nas ruas).

Em abril passado, o porta-voz do presidente Fernando Henrique Cardoso disse que ele não tinha visto o programa, mas repudiava que se retratasse erroneamente o Brasil. O presidente da Riotur, José Eduardo Guinle, chegou a ameaçar processar a Fox, que produz o seriado.

A produção do desenho, criado por Matt Groening, pediu desculpas, mas aproveitou para provocar FHC: “Pedimos desculpas à amável cidade do Rio de Janeiro”, disse o produtor James L. Brooks. “Se isso não resolver a questão, Homer Simpson se oferece para lutar com o presidente do Brasil no ‘Celebrity Boxing’ [programa de TV americano em que celebridades lutam boxe].”

Visto de “fora”, o problema pode ser facilmente encarado como exagero, mas, assim como pontuado pelo trecho da FSP, há exageros gritantes. Claro, maluquices dignas de Os Simpsons, um programa capaz de esculachar seu próprio país semanalmente das maneiras mais absurdas e ofensivas possíveis. Por exemplo, se a comunidade judaica resolvesse processar Matt Groening por cada piada, o criador da série teria problemas sérios. Entretanto, o problema está na postura de Paula Gobbi, cuja longa vivência e conhecimento não só da cidade do Rio de Janeiro quanto do resto do Brasil deveria lhe servir como base antes de emitir uma opinião generalista como essa. Reações exageradas existem em todos os cantos do mundo, mas não é de hoje que ela faz esse tipo de crítica. Em 2002, quando a polêmica aconteceu, a jornalista foi entrevistada pelo The Washington Post.

Confira o trecho:

“Vejo macacos nas árvores em frente ao meu escritório o tempo todo; e há macacos em Copacabana também”, diz Paula Gobbi, uma jornalista argentina que vive no rio há 16 anos. “Acho que isso é fantástico, algo para se ter orgulho. Mas aí escuto algumas das autoridades daqui que estão tentando fazer de conta que os macacos não existem e só consigo imaginar o que passa pela cabeça deles”.

Generalizar não é o caminho do jornalismo. Seria muito fácil dizer que todos os argentinos concordam com cervejarias ilegais depois de, no mesmo programa, ver a fábrica de Duff que existe em Buenos Aires. Paula Gobbi generalizou e apresentou uma postura cheia de desdém ao “julgar” uma cidade e um povo num programa que já se sabia ser destinado ao horário nobre da TV norte-americana e, futuramente, lançado em DVD.

Além de tudo isso, o direcionamento de Spurlock reforçou vários dos conceitos apresentados no episódio “Blame it on Lisa!”, como por exemplo a obrigatoriedade da sunga nas praias, a vida de festa e sexualidade exagerada. Nada que os americanos não pensem do Brasil, mas que, aliado a uma análise parcial e deslocada como a feita por Paula Gobbi, reforça ainda mais a idéia errônea de que os brasileiros não passam de maltrapilhos subdesenvolvidos, com sotaque espanhol, e, agora, “adolescentes imaturos”. Também me surpreendeu o uso do “ainda”, dando a idéia de que estamos evoluindo em direção à iluminação social que, de acordo com Paula, não temos no momento.

Como nenhuma fonte oficial fez parte do programa, deixo uma pergunta: onde estavam as mesmas autoridades que criticaram Os Simpsons em 2002, já que foi necessária uma jornalista argentina para avaliar a situação? Assim como não faltam profissionais brasileiros com poder crítico e domínio da língua inglesa na cidade do Rio de Janeiro. Mesmo sendo apenas escolha de Spurlock, que adora ser polêmico, podíamos ter dormido sem essa.

Reportagem: Fábio M. Barreto, de Los Angeles

==

O que você achou da reação do Brasil ao episódio? A avaliação de Paula Gobbi está certa? Concorda? Não? Foi tudo armação de Morgan Spurlock? Comente!

Sobre 

Fábio M. Barreto roteirista e diretor de cinema e TV. Baseado em Los Angeles, nos Estados Unidos, atuou como criador de conteúdo multimídia, mentor literário e é escritor premiado e com vários bestsellers na Amazon.com.br. Criador do podcast "Gente Que Escreve" e dos cursos "Escreva Sua História" e "C.O.N.T.E. - Curso Online de Técnicas para Escritores".

    Saiba mais sobre mim:
  • facebook
  • googleplus
  • linkedin
  • twitter
  • youtube

54 thoughts on “Jornalista Argentina Critica Brasil em Especial de “Os Simpsons”

  1. Brasileiro não sabe mesmo ser criticado, adora dar risada, falar mal dos outros países, criticar o problema dos outros, principalmente dos países vizinhos, e quando nós somos alvo de piada ficam de c# doce.

    Olha a nossa política, olha os destaques idiotas que saem todos os dias no jornal, sem contar o fato de ser arrogante mas ser o único que não fala espanhol em toda América Latina.

    É hipocrisia demais pra um país de m#@#$ assim.

  2. Sabe qual o problema?
    O problema é que a gente adora se ofender.
    Mas aí, quando alguém vem lá de fora e diz da gente coisas que nós mesmos dizemos (como o lance de “vai ao Rio, cuidado com o crime”) o nosso povo tende a ficar ofendido.

    Realmente é um comportamento infantil (nem adolescente é tão intolerável).

    Entretanto, concordaria com ela apenas se ela fosse de outro lugar, que não a Argentina.

    1. É lamentável que sempre que algum estrangeiro fale mal ou ironize o país os egos se inflamem. E o que foi mostrado mundialmente através de “Tropa de Elite” e “Cidade de Deus”, só p/ citar dois exemplos? E no recente “Era uma Vez” (filme que rendeu ao protagonista cujo nome me foge agora uma parceria com Kate Winslett, que será filmada esse ano)? Qual motivo de orgulho temos para mostrar ao mundo, traficantes que derrubam helicópteros, políticos enchendo meias e cuecas com o dinheiro do povo e um dos maiores incentivos financeiros para cinema vai p/ a biografia do presidente da República? ACORDEM!!! Há pelo menos 5 séculos que tem mta coisa errada no Brasil, e nenhum estrangeiro pode falar sobre isso? Sim, a maioria da população é adolescente que não sabe lidar com crítica, a verdade foi dita!

      1. Não me indignei com o episódio… pega mal para o brasileiro, mas é humor. Essa é a proposta do seriado e isso eles fizeram bem.

        Mas as palavras da repórter, essas sim eu não aceito. Qualquer estrangeiro que queira falar mal do Brasil e viva em uma situação melhor que a nossa, tem todo o direito a falar, mas não um argentino, que acha que seu país é a “Europa da América do Sul”. Se o Brasil tem problemas, a Argentina tem câncer. Ela fala como se o país dela fosse desenvolvido e tivesse uma melhor realidade que a nossa. Melhor que ela se preocupe com o país dela que não vai nada bem.

        1. Por que a Argentina tem que ser sempre ponto de referência e objeto de comparação se sabemos amplamente que somos sim a melhor seleção de futebol do mundo? Não importa a FIFA, os seus dirigentes não têm estatura moral para angariar a nossa credibilidade, ja que são alvo de seguidas acusações por corrupção.
          Somos sim a que mais vezes participou de uma Copa do Mundo, dezenove vezes, enquanto Argentina só participou de quinze, disputamos sete finais e ganhamos cinco, eles só disputaram e ganharam duas.
          Eles ganharam a quádruple coroa (Copa do Mundo, Copa das Confederaçoes, Copa América e Jogos Olímpicos (estes duas vezes só), mais isso e um detalhe, só eles e a França ostentam esse titulo.
          Para não deixar as comparações que tanto gostamos de praticar, no ámbito do futebol, navegando na net descobri que apesar da imprensa não divulgar (deve ser humildade) estamos acima deles em vários outros quesitos que vão desde tamanho territorial (somos o quinto maior território do planeta) passando pela economia (somos a oitava economia do mundo e a sétima em paridade de compra) pelo número de leitos hospitalares por habitante, pelos índices de analfabetismo e mortalidade infantil, sem falar no IDH (neste ultimo então somos imbativeis). Sem falar que somos quase duzentos milhoes de habitantes e eles não chegam a quarenta.
          Os “hermanos”, para fazer uma comparação mais odiosa daquela que diariamente realiza nossa imprensa, somente podem ser um pouquinho melhores que nois em outros campos, são a melhor seleção do polo do mundo, inventaram o marca-passo, a caneta esferográfica, o onibus coletivo, o doce de leite e tem Metro desde a década de 50. (a quem interesa isso?)
          Ah, ja ia esquecendo! eles somente ganharam cinco premios Nobel (bobagem) e foram indicados seis vezes ao Oscar, só ganharam duas vezes rsrs … ( A Historia oficial em 1985 e O segredo de teus olhos em 2010) mais bobagem.
          Daqui a poco vamos ter tambem melhores estadios de futebol que eles, os maiores estadios de futebol que o Mercosul todo, e o Neymar vai desbancar aquele garoto subnutrido que mais parece uma Pulga.
          Já tivemos quatro Reis, eles nemhum….. o quarto? Pelé ora.

          Depois os Europeios são eles…………………

          Nota: ainda bem que todas as comparaçoes que fazemos não são relacionadas ao número de habitantes…ahi sim dariamos de goleada em todos os quesitos…imagina só, numero de premios Nobel, número de copas ganhas……

  3. Pode até ser verdade que não saibamos aceitar críticas. Mas não se trata de críticas, mas de humorismo. Humorismo que, em momentos, se mostrou mais grosseiro que a média da série, inclusive os episódios sobre outros países. Apenas isso. Nossa reação foi exagerada mesmo, mas matt groening também se excedeu. A piada da Samba School foi boa, nossas danças são lascivas, mas associar o país ao homossexualismo generalizado não tem base factual.

  4. Vou fazer um comentário geral, deixando um pouco de lado essa questão simpsons e argentina:

    O problema dos brasileiros – sobretudo dos que sempre saem apontando dedos contra uma suposta ‘falta de humor dos brasileiros’ – é que ignoram uma coisa muito clara chamada política; acham todos que vivem num mundo mágico, onde todo mundo se trata como igual. Não é por aí. Os americanos não acham “lindo” se são retratados com desdém fora do seu país coisíssima alguma; mesmo que fosse dessa forma, eles poderiam se dar a esse luxo, já q são conhecidos pelo mundo todo, para o bem e para o mal. Nós, de países periféricos, somos conhecidos apenas com base em esteriótipos MESMO. Qd Wanda Sykes insinua (brincando) q as brasileiras são putas, ela está refletindo uma mentalidade que realmente permeia aquele país e, sim, a REFORÇA. O que eu quero dizer é que é normal q o Brasil se ofenda qd é retratado erroneamente, mesmo que na base do humor. É muito fácil zoar a percepção do outro quando se é conhecido – em todos os seus aspectos reais e cômicos- por todo o mundo; nós, na periferia, somos retratados como caricaturas e conhecidos como tal. Ignorar isso é inocência ou mau caratismo.

  5. Vinicius:

    1- O Filme do Lula – que eu não vi, mas dizem que é uma merda- foi feito sem Lei Rouanet. Ou seja, não há incentivo algum e o problema não é meu ou seu (já que o dinheiro não é público).

    2- A questão não é se o Brasil tem problemas ou não. Você mesmo citou um série de problemas reais. A questão é: são esses problemas, reais, que costumeiramente são retratados? E, MAIS IMPORTANTE DE TUDO, é só isso este país? Porque, olha, corrupção tá longe de ser exclusividade nossa… Que diriam os ingleses, que acordaram hoje com um escândalo novo…

  6. Perai,
    Simpsons é um programa recheado de sarcasmo e tenho que concordar que senti muita vergonha com a reação “oficial” ao episódio. Agora chamam uma argentina para dar uma declaração sobre o fato e as pessoas ainda se espantam com as bobagens que ela diz ? Por favor. Se queriam imparcialidade (ou condescendência?) eles teriam chamado um executivo da Fox.

    Gostaria imensamente que as pessoas parassem de amplificar a voz dos imbecis.

  7. “Olha a nossa política, olha os destaques idiotas que saem todos os dias no jornal, sem contar o fato de ser arrogante mas ser o único que não fala espanhol em toda América Latina.”

    ora sim, o fato de não falarmos espanhol importa MUITO em toda essa questão.

    essa argentina é uma ignorante, realmente generalizou a coisa toda, mas, francamente, eu cago pra essa discussão. e recomendo a todos que façam o mesmo; vamos nos preocupar com algo maior do que isso.

  8. Concordo que o Brasil possui inúmeros problemas, ainda mais quando olhamos para violência das cidades de São Paulo e Rio de Janeiro.

    Agora uma jornalista, com uma carreira respeitada e presidente da Associação dos Correspondentes de Imprensa Estrangeira no Brasil, deveria ser NO MÍNIMO profissional e não fazer este tipo de declarações.

    Brasileiro sabe ser criticado, porém a postura de Paula Gobbi foi de olhar para um país (onde vive a 16 anos) e pontua-lo como terra de um povo de 3º mundo… aliás, nem terceiro mundo foi pouco … ela olhou para nós exatamente como quando os portugueses e espanhóis chegaram aqui:
    “coitadinhos, vamos mostrar a luz para eles” (*pof! porretada na cabeça pelas costas)

    Todos temos que lembrar que nenhum lugar do mundo é perfeito e ao invés de ficar sentado falando que a sra. Paula Gobbi acertou ou errou, deveria levantar da cadeira e ajudar a melhora o Brasil.

  9. Eu concordo com ela. Brasileiro não sabe receber crítica, não tem senso de humor quando os outros fazem piadinha com ele e, principalmente brasileiro adora pisar em cima dos outros, adora se sentir superior mesmo quando não é. Adora falar que o Brasil é melhor que tudo, fazendo piada com os outros países. Aí, quando fazem piada com o Brasil, é pq é um crime hediondo “generalizar e falar mal deste país lindo e abençoado por deus”.
    E é lógico que eu não estou falando de mim, ou de vc, ou de ninguém especificamente. Generalizar não quer dizer “todo e cada um dos brasileiros”. E sim o que normalmente se vê e o que é a maioria. E infelizmente é assim.
    O que é tão absurdo no episódio? O Brasil é terceiro mundo MESMO. Tem governo imundo, serviços imundos, população passando fome, e ao invés de tentar mudar tudo isso, prefere ficar vendo subcelebridade inútil e com pouca roupa na TV e fazendo carnaval fora de época a cada minuto. Só que quando eu, brasileira, falo isso, é crítica, mas quando ela, argentina, fala, é ofensa? Aí mostra que ela está certa mais do que nunca, quando diz que brasileiro é que nem adolescente birrão, principalmente quando brasileiro “engraçadinho” levanta a questão da rivalidade Brasil x Argentina, que só existe aqui. Nunca vi ninguém na Argentina fazer uma piadinha com brasileiro. Só aqui que tem esse besteirol. E aí pode né? Falar mal de argentino ok né? Por favor…

  10. Existe, no Brasil, a política do “politicamente correto”. Tudo e todos devem ser “politicamente corretos”, exceto quando é do nosso interesse deixar isso pra lá.

    Sou nordestino e conheço o preconceito que existe no sul e sudeste a respeito da nossa região: baiano é preguiçoso, paraibanas são “mulher-homem”, alagoas é curral eleitoral, cearenses são isso, sergipanos são aquilo.

    E também conheço várias maneiras de se referir a paulistas, gaúchos, cariocas.

    Informalmente isso é aceito, levado na brincadeira. Mas quando algum político, jornalista, ou seja lá o que for, expressa isso publicamente: vira um escarcéu.

    E essa é a principal diferença entre o povo brasileiro e o americano: o americano por estar no centro das atenções mundiais tomou a frente e resolveu tirar sarro consigo mesmo antes que qualquer outro o faça. Vide o grande número de comediantes de stand-up que existem por lá. E o stand-up trata justamente disso: criticar o modo de vida americano, criticar o americano, criticar a mulher americana, o negro americano, o homem americano.

    Brasileiro não, brasileiro é o povo do “deixa disso”, do humor placebo do Zorra Total: leve, ingênuo, acerebral.

    Eu ri do episódio dos simpsons, e concordo com a jornalista argentina, sim. O povo brasileiro não sabe levar certas coisas na esportiva e reage como criança quando criticado.

  11. Bem, essa fulana apenas quis se promover, nada mais, não é culpa da Fox alguém falar isso, é uma sacana despeitada!!! Senhor Filipe, tem coisas que ela falou que podem ser verdade, mas de resto ela só quis aparecer. Não vale a pena discutir esses assuntos, e viva o bom humor!!!

  12. Pingback: Arnaldo Branco
  13. Pingback: Leopoldo Godoy
  14. Pingback: davidbutter
  15. Pingback: Ibere
  16. Pingback: Wagner Brito
  17. Pingback: Marco Rigobelli
  18. Pingback: Pedro Augusto
  19. O problema não é macaco na rua, mas o desrespeito a cultura com o sotaque espanhol, as filas de conga ea perda de identidade com a amazonia ao lado do Rio.
    Que tem violencia e macacos sabemos, o duro é aguentar burradas!

    Mas que a Argentina quis se fazer em cima, quis. Aliás é o que Argentino faz melhor pois eles tentam ser europeus e continuam terceiro mundo! (eita raça!).

  20. “Perguntada sobre a possibilidade de o povo brasileiro ter recebido a “homenagem” como brincadeira, a jornalista negou o aspecto humorístico e aproveitou para alfinetar.”

    Acho que o trecho acima deixa bem claro a sua ideia, a jornalista foi por um caminho malicioso quando resolveu comentar o acontecido.
    Na verdade o brasileiro em geral sofre de um patriotismo seletivo, provado agora no caso Robin Willians, em que ele se ofende seriamente com piadas inofensivas, mas se comporta passivamente com a situação política e social interna.
    Ainda, Spurlock tinha tudo para fazer mais piada sobre esse caso, mas como era esperado de alguém como ele, deixou passar.

  21. Po, pedir pra uma argentina falar do Brasil já é piada pronta! Sem sentido toda a discussão. Nós mesmo não zoamos um monte os americanos, achando que são todo psicopatas, malucos e etc? Os EUA não zoam outros países além do nosso? Não só com os Simpsons, mas humor em si geralmente é feito em cima de estereótipos. Porque vamos ficar ofendidíssimos quando é nossa vez de estar na mira?

  22. Concordo com o FÁBIO, quando este sugere que um jornalista brasileiro deveria sim ter sido ouvido quanto ao polêmico episódio de “OS SIMPSONS”.
    Ademais, não posso concordar quando um repórter, seja argentino ou de qualquer naturalidade, afirma que os brasileiros são como adolescentes e ainda não sabem receber críticas.
    Digo isto, porque conheço inúmeros brasileiros (assim como eu) que assistiram ao referido episódio e não se ofenderam, pois sabem distinguir a ficção da realidade, ainda mais se tratando de um seriado cômico como “OS SIMPSONS”.
    Tenho a mesma opinião quanto a entrevista com o ROBIN WILLIAMS, ótimo ator e comediante, que vive tirando sarro dos outros e que, por ese motivo, nem sempre deve ser levado a sério.
    Sou brasileiro e apesar das injustiças e inúmeras dificuldades que vivencio diariamente, não sou pessimista quanto ao futuro.
    Verdade é que se me incomodo com uma coisa nesse caso, é com o fato de EU e outros termos sido definidos por uma REPORTER como um “adolescente que não sabe ouvir críticas”, ainda mais, por um profissional que sequer conhecemos pessoalmente e que, portanto, deveria se abster de tais comentários, sob pena de cometer injustiças…
    Saudações,

  23. @Amsterdan
    Episódio que inclusive foi censurado na Argentina,no entanto não sou simplista a ponto de tachar todos os hermanos de imaturos por isso.
    Só acho uma pena que ela não tenha aproveitado pra provar que os argentinos, diferente de nós reles brasileiros são autocríticos e sabem rir de si, falando o que achou desse ato dos compatriotas. =D

  24. Essa jornalista vive, trabalha e exerce sua profissão no Brasil. O minimo que ela deveria é ter sido um pouco cortes. Alguém por favor manda ela de volta pra Argentina.

  25. Queria ver se não fosse uma argentina, fosse uma brasileira (sincera e sem medo de dar a cara a tapa) que tivesse dito as mesmas coisas. Provavelmente os comentários seriam os mesmos, com a diferença que a mulher ia faltar ser espancada no meio da rua. Eu podia dizer se fosse um brasileiro. Mas acho que aí não ia rolar tanta briga de galo, não.

    O pior é quando as pessoas levam ironia a sério. Rir da ditadura na argentina, dos estadunidenses zoando própria cara, dos judeus, da putaquemepariu tudo bem. Mas deixa eu falar da sua mãe….

  26. Cara, os simpsons estão eternizados, no mundo inteiro e o brasileiro em especial tomou afinidade pelo desenho. Tem tudo haver com agente, o romer é o brasileiro, escarrado, kekekeke…
    Você anda muito ocupado, né velho, nunc amais fez sos cast, poxa, tô sentindo falta!

  27. Desculpa a demora para comentar, ou reviver a discussão no tópico, mas sou obrigado a dizer que a jornalista argentina tem um pouco de razão em sua declaração. Por mais que os cariocas possuam o direito de reclamar do modo que foram retratados nos Simpsons (afinal estamos falando de dois países no qual teoricamente existe o direito de livre expressão e por tanto o direito a reposta, tréplica e assim por diante), mas acho que foi um tanto exagerado, é claro que eu não gostaria que meu país fosse retratado daquela maneira, mas é preciso entender que tudo não passou de uma brincadeira, que como toda é baseada em realidade, e que deveria servir de base para compreender nossos erros e fazer de tudo para concertar eles. Ao contrário disso o RJ prefere continuar no mundinho dele e achar que eles são o Estado mais importante do Brasil, bem como a capital do Brasil por conta de coração. Os cariocas levaram a piada a sério, sério até demais, e o que poderia servir como um marco no modo como o resto do mundo nos vê, acabou se tornando mais piada ainda para o resto do mundo. Escolha melhor seus governantes (não digo o ex-hipie, e agora tucano, Gabeira), digo políticos preocupados em ser políticos no sentido ideal do termo como Chico Alencar, e não os corruptos de sempre como o Ex-prefeito do Rio César Maia, para que os problemas estruturais e sociais do Estado e da cidade comecem a ser solucionados (problemas que não são exclusivos só do Rio), e o Rio possa ser retratado de uma forma menos crítica. Doeu ver o Brasil ser retratado daquela maneira, mas doeu muito mais, ver a reação do Rio e do presidente do Brasil naquele momento.

  28. 1. A argentina em questão ta “meio” certa.

    1a. O Brasil exagerou na reação, mas o BRasil em questão foi autoridades e imprensa. Porque pelo menos quase todo mundo que EU conheço achou nada demais o episódio.
    1b. Simpsons é uma paródia da vida americana. Eles retrataram o Brasil da forma estúpida que os americanos nos vê, logo o episódio não fugiu da proposta da série.
    1c. Brasileiro é adolescente SIM. Qualquer coisinha envolvendo nós vira polêmica se não for coisa boa. Simpsons, Turistas, Call of Duty MW2, Driver 2… e etc. (acabei de me contradizer, eu sei.)

    2. Sobre Robin Willians: Mimimi prostituição e drogas.. SÓ EU percebi que Robin Willians disse que o COI é um grupo de putanhescos drogados?

    Humoristas não são psicólogos que sentam num sofá e dizem com voz calma e tranqüila o que o país tem que melhorar… Eles escracham e mostram quão ridículo é a “realidade”, é isso que Pânico na TV faz todo domingo, CQC na segunda e Casseta na Terça (porém Casseta é chato).

    Simpsons criticou em uma série de viagens a Xenofobia americana PONTO.

  29. Brasileiro falando mal do Brasil eu aceito,mas estrangeiro e principalmente,uma argentina!!!NÂO ACEITO,NÂO ACEITO E ACEITO.Principalmente porque a Argentina é muito pior q/o Brasil em tudo,tem muito + promblemas q/ nós,é muito + pobre o povo de lá passa muita fome,a Argentina é muito feia,o clima de lá é triste,o maior ídolo deles é um drogado,feio e gordo,o idioma espanhol é insuportável e enjoativo…enfim, sâo infinitas as imperfeiçôes deles.SABE QUAL É A MODA DO MOMENTO?É DISCRIMINAR ARGENTINO.

  30. Os argentinos são oa mais racistas da américa latina, racistas, arrogantas e falsos….Só conheci dois argentinos gente fina e isso porque um deles era mestiço. Volte pro buraco de onde saiu jornalista de M…

  31. O Patriotismo de certos comentários postados aqui me faz “correr em lágrimas”… puta que parril!, não acho que os brasileiros sejam adolescentes que não sabem receber críticas, na verdade estão mais para crianças mesmo!

  32. Nos Estados Unidos, em estradas, é muito comum ver cervos atravessando-as. São tantos que muitos são mortos, por vezes, até jacaré já foi visto por ruas da cidade. O fato do Rio possui macacos em arvores se deve a presença da floresta da Tijuca, a maior floresta urbana do mundo, que apesar de estar sendo devastada tem que ser considerada um orgulho para uma cidade como o Rio e para o Brasil, que consegue, bem ou mal, manter uma área verde em meio ao caos urbano que é esta cidade. Não é para se envergonhar, acho que é um orgulho, conseguir ter uma relação mais harmônica com a natureza. Em relação ao desenho dos Simpsons, eles sacaneiam com todos, inclusive com o país deles, mostram de forma bastante escrachada e inteligente a corrupção da sociedade americana os valores distorcidos, e como é fácil corromper as instituições. Com o Brasil fizeram o mesmo. O pior são filmes americanos com temáticas serias que passam uma imagem completamente distorcida do Brasil, como o filme “Estigma”, que fez uma reprodução da cidade do Rio de Janeiro parecida com as cidades do interior do sertão nordestino. Esses filmes são piores, e não foram proibidos, pois são sérios e passa uma seriedade, como se realmente fosse assim no Brasil. Os Simpsons todo mundo sabe que é exagerado, esta é a intenção do desenho.

  33. Nada a ver,eles fazem humor até deles mesmo.Porque não fazeriam do nosso país,nesse episodio eles só não satirizam os Brazil,mas também a argentina,podem ver que na cena durante o voo dos simpsons ao Brasil,Lisa lê um livro com um mapa da Ámerica do Sul na capa só que no mapa não existe Argentina,apenas uma grande baía.

  34. Essa jornalistazinha “come e vira o prato em que se alimenta”, como alguns Brasileiros também o fazem… Comentário e episódio totalmente desnecessários, além de demonstrar ignorância humana. Quanto a FOX, deveria ser processada, e seus editores deveriam ser melhor informados e instruídos.

    1. Hehehe, reclamam, mas sabem pouco sobre os outras culturas, até mesmo dentro do próprio país.
      Os gaúchos são todos gaúchos (com bombacha, prenda…)?
      Todos os argentinos dançam tango?
      Todos os brasileiros sabem sambar?
      Na Austrália é cheio de cangurus?
      O Brasil é cheio de macacos e cobras?
      No Brasil só há praias e Amazonas?
      Os nordestinos são todos preguiçosos, ou todo nordestino é baiano (ou paraibano)?
      Ou todos os orientais são chineses?
      Se nem sabem diferenciar as culturas da China, Japão, ou Koréia.
      Como comentado por Felipe Aguiar… as pessoas criam um “padrão” para cada estado ou país.
      E devem aprender a interpretar isso, as pessoas fora do Brasil acham que é tudo selva e praia por causa do National Geographic… E carnaval, futebol, cerveja, cristo redentor, etcétera. Assim como vocês acham coisas de outros países, que são estereótipos.
      Pessoas que não aprendem a levar isso com humor, serão sempre ignorantes.

  35. afff.. essa mulher e ridicula o pais dela e ridiculo sai fora cangança so mais o brasil e quem vim fala merda vai leva heim naum adimito que fale mal do meu pais tenho orgulho de ser brasileira mora em um pais livre, batalhador e que nao desiste nunk
    vlw

  36. o Brasil tá tão porcaria que a argentina mora aqui criticas são sempre bem vindas porem latinos de maneira geral não aceitam criticas infelizmente
    Isso é algo que temos que mudar

    Brasileiro não sabe mesmo ser criticado, adora dar risada, falar mal dos outros países, criticar o problema dos outros, principalmente dos países vizinhos, e quando nós somos alvo de piada ficam de c# doce.

    Ah claro isso é só com agente né reaçada ta forte aqui

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *