[SOSCollege #1] O Surto

Além de comentar a indústria do entretenimento, o SOS Hollywood agora vai para a faculdade contar a vocês como funciona o sistema educacional de Los Angeles e, claro, o que rola numa faculdade de Cinema!

por Fábio M. Barreto, de Los Angeles

Na noite de quarta-feira fiz um anúncio no Twitter: “fui aceito na faculdade de cinema”. Foi um momento especial e ficou mais interessante ainda quando os leitores se manifestaram em massa. Acho que ganhei mais parabéns nesse dia do que no meu aniversário, o que é uma coisa ótima, afinal, meu desejo parece se realizar e, a cada dia, uma geração de leitores preocupados com qualidade se forma aqui no SOS Hollywood. Enfim, essa reação motivou uma nova idéia maluca: SOSCollege, uma seção fixa dentro do site contando como vai ser essa jornada cinematográfica, agora, pelo ponto de vista acadêmico. Sempre que descobrir algo novo, vivenciar momentos relevantes ou aprender coisas interessantes, vou compartilhar com vocês, sem carga mínima de matérias por semana [a quem quero enganar? vou falar pelos cotovelos aqui] e estilo mais pessoal que o habitual. Bom, aí vai o primeiro.

O Surto

Na última vez em que pisei numa sala de aula como aluno, em 2005, terminei a pós-graduação e desencanei de mestrado por não ter verba suficiente. Teria que estudar na PUC-SP, que é onde minha orientadora de Análise de Discurso “sugeriu levemente” e eles cobram caro. Ficou como plano futuro. Agora avança para 2008. Já em Los Angeles, sempre bateu aquela vontade de fazer algum curso por aqui, mas tudo ainda era incerto: o fluxo de trabalho jornalístico, o pagamento, a família ainda estava no Brasil e como eu era recém-chegado, não podia pedir nem um copo d’água sem pagar o triplo ou correr o risco de ser negado. Chegar num país novo não é fácil, muito menos quando ninguém sabe que seu visto sequer existe, muito menos seus pormenores bacanas – do tipo: permissão para estudar e não ter data para ir embora!. Bom, ficou para o futuro. Novamente. Sempre esse futuro que nunca rolava. Isso sempre me incomodou, de qualquer forma, nunca abandonei a idéia. Avance mais um pouco, agora para 2010, especificamente no Thanksgiving. Já faz um mês que rolou o feriadão e NÃO ACONTECEU mais nada em termos jornalísticos, pois as exibições para a Academia começaram e a imprensa internacional fica de fora da brincadeira. Bom, tudo isso para dizer que rolou um marasmo. Deu tempo de terminar o primeiro draft do livro, trabalhar mais no site e aí a idéia de estudar voltou, ou melhor, aconteceu. Em menos de uma semana, decidi tentar a sorte, enviei minha inscrição e ontem passei o dia no campus fazendo matrícula e descobrindo como esse sistema funciona. A “experiência” começou ali mesmo. Fui do surto de decidir estudar ao pânico de não ter noção do que fazer em dois dias, praticamente. Ou seja, ontem, dia 16 de dezembro, foi, efetivamente, meu primeiro dia na Los Angeles City College (LACC), faculdade onde Clint Eastwood se formou. Só!

Ser aceito é apenas o princípio. Quer dizer que você se qualificou para estudar lá. E só. Eles sugerem que você passe por uma consulta com o Conselheiro, que vai analisar seu inglês, indicar cursos, horários, atividades extracurriculares e tirar dúvidas. Pelo menos na teoria. A consulta não demorou nem 5 minutos e só tirei dúvidas, que eram poucas, afinal, eu era claramente um peixe fora d’água. A recomendação foi de “seis unidades por trimestre” [trimestre = season, ou seja, vou começar no Winter Term – intensivão entre janeiro e fevereiro]. Adorei! Dava para fazer o básico do curso de Cinema, composto por 4 matérias [Intro, Equipamentos, História do Cinema e História do Documentário]. Então fui para o setor de inscrições [Admissions] e a diversão começou. Ou seria a confusão?

Recebi um livro cheio de matérias, que vão de Estudos Africanos até, sei lá, Ortodontia. O programa completo da LACC. Encontrei a área de Cinema que, por estar em ordem alfabética, se misturava com Chinês! E era tanto código que pirei. Também recebi um formulário amarelo com vários campos onde deveria inserir o código, nome e quantidade de unidades que gostaria de fazer. Preste atenção no “gostaria”. Selecionei as 4 básicas e fui todo feliz para o guichê. Cheguei lá e, logo de cara, “para qual trimestre?”. Hein? Pô, ganhei um livro aberto, anotei os números e parecia estar certo. Voltei lá e vi que era Spring/Primavera, ou seja, só começaria a estudar em 7 de fevereiro. Quero matar o básico logo, então, vamos ver algo antes. Aí encontrei o livro, menor, com as aulas de Winter/Inverno. Só duas aulas disponíveis em intensivão: Cinema 1 (básico) e 3 (história do cinema). Fiz duas filipetas, uma para cada trimestre.

Juro que queria rir quando a moça disse: “Ok, tem Cinema 3 para Winter. Cinema 1 está cheia”. Fuuuuuu! E piorou “E para Spring só tem 1 e 4”. Ou seja, Cinema 2, que é bom, nada né? É a aula de workshop, a mais prática das quatro. Ah, sim. Toda aula funciona assim – pelo que entendi: teórica nas primeiras duas horas e prática (laboratório) nas duas seguintes. Galera, é uma loteria! Você se matricula (bom, teoricamente, naquele momento, ainda não estava matriculado… LOL) e tem que dar sorte de ter vaga. Fiquei meio preocupado, afinal, se não tiver Cinema 2, não posso começar com Cinema 5,6,7 e 8 no segundo semestre, afinal, 1-4 são pré-requisitos. Aí ela me diz: “ah, aparece na aula e pede um Add Card para o professor”. Basicamente, vou chegar lá e convencer o cara de que sou legal o suficiente para entrar numa vaga que, eventualmente, estará disponível. Ou então fico de bicão até ele se encher e me aceitar.

Beleza, Cinema 1, 3 e 4 resolvidos no primeiro semestre. Cinema 2 vai ser na sorte, mas deve rolar. Só aí fui me matricular. Era um inscrito até o momento. Detalhe, ninguém pediu documento algum. Acreditaram em tudo que escrevi na ficha de inscrição e na carta de apresentação. o/ Só fui apresentar documentos para conseguir meu desconto de morador da Califórnia – OBRIGADO, TIO ARNOLD! -, que abateu 80% do preço. Se fosse a tabela para aluno não-residente não conseguiria bancar. As coisas estão ruins financeiramente por aqui. Bão, tudo certo. Hora de me tornar aluno. Depois de ter feito tudo isso, poderia aparecer na Tesouraria e pagar a matrícula e tal. Faz sentido, pois já paguei matricula, estacionamento para o mês inteiro (US$ 10. hehe) e quitei cada uma das aulas. É, você paga cada unidade aprovada pelo sistema, ou seja, se fosse lá antes de escolher as matérias, não teria nada para pagar e precisaria voltar e pegar a fila quilométrica de novo. Mas nada disso adiantou, pois o sistema ainda me mostrava como “aluno de fora”. Dá-lhe voltar em Admissions e pedir para mudar o status no sistema, mas queriam comprovantes de residência e tive que voltar para casa. Cinco minutos depois, estava revirando caixas. Humm, cinco minutos? É, são 7 quarteirões daqui na faculdade. Não dá pra andar todo dia (especialmente com minha perna detonada), mas de carro é rapidão!

Voltei lá, apresentei os documentos, mas, no fim das contas, ela usou minha Identidade e o Documento do Carro, que JÁ ESTAVA comigo. LOL. Não vou entrar em detalhes, mas a lógica brasileira, sem dúvida, não combina com a americana. Nunca tente fazer o que você acha que faz sentido. Eles provavelmente vão te considerar um alienígena deslocado até mesmo entre seus iguais! Sistema atualizado e eu, efetivamente, era um aluno residente. Peguei o comprovante e volteeeeeei em Admissions, mas agora para fazer a Student ID. Tiazinha armênia ou russa, vai saber, foi ao computador, preencheu tudo e disse: “senta ali”, apontando para uma cadeira com um pano branco atrás. Por segundos pensei que um gigante russo fosse vir me socar por ter enrolado demais com a documentação pro desconto, mas era só a foto. Foi a hora de eu ficar surpreendido. Click. Brasileiro que sou, repeti a pergunta que fiz pra mulher do guichê: “quanto tempo leva para aprovar o crédito/ID ficar pronta?”. Tiazinha quase riu da minha cara e só disse. “Fica aí”. Ok, camarada Kurilenka! 2 minutos! Só 2 minutos e ela pediu para eu assinar num pad e, instantaneamente, entregou o Student ID, com foto, nome, número e pan! Virei Bixo aos 32 anos! Ganhei meu LACC Cub Card!

As aulas começam em 3 de janeiro. Cinema, aí vou eu!

E chega por hoje, depois tem mais! 🙂 Espero que tenham gostado!

Sobre 

Fábio M. Barreto roteirista e diretor de cinema e TV. Baseado em Los Angeles, nos Estados Unidos, atuou como criador de conteúdo multimídia, mentor literário e é escritor premiado e com vários bestsellers na Amazon.com.br. Criador do podcast "Gente Que Escreve" e dos cursos "Escreva Sua História" e "C.O.N.T.E. - Curso Online de Técnicas para Escritores".

    Saiba mais sobre mim:
  • facebook
  • googleplus
  • linkedin
  • twitter
  • youtube

21 thoughts on “[SOSCollege #1] O Surto

  1. Fabião,

    Não consigo expressar em palavras, a minha felicidade, orgulho( muito, mesmo), e, tenho que ser sincero, inveja, que estou sentindo de vc meu amigo. Parabéns! Vai confiante, por que tudo dar tudo certo, por que tem um monte de gente, como eu, aqui na terra da encantada da Dilma(argg!) torcendo por vc.

    Um grande abraço para vc e um beijo para a Lu

    Maffia

  2. Tenho que dizer uma coisa, Barretão…

    Ô INVEJA DE TI VIU? Hahahahaha

    Falando sério, te desejo muito sucesso nessa nova jornada (isso pareceu frase de Pokémon!) e que vc aprenda muito lá e nos ensine um pouco também! =)

    Dá pra sentir tua empolgação .. e a gente se empolga contigo também!

  3. Oi Fábio!

    Foi muito legal ler sobre a sua “jornada” no seu primeiro dia na faculdade! Me fez lembrar da minha época de calouro na faculdade em Norwalk, CT.

    O engraçado é que o seu processo para tirar o ID foi igualzinho ao meu para tirar a minha Driver’s License: 2 minutos!

    Enfim, desejo-lhe muito sucesso nessa empreitada e tenha certeza de que estarei torcendo e aguardando os posts

  4. kkkkkkkkkkkk Você ainda se surpreende com o mundo moderno. Aqui você vai no boteco da esquina e eles te fazem um member card com a sua foto em 2 minutos. Hahaha.

    Vai ser sensacional acompanhar a sua caminhada. =D

  5. Agora que fiquei sabendo, Fabio!! Parabens msm!!

    Meu desejo secreto (agora não mais) é fazer uma faculdade de cinema, porém como não tenho verba para sair da minha cidade para faze-lo, me contento com a Psicologia msm (que creio ser o mais proximo).

    Tentarei estar por aqui o máximo que puder para acompanhar.

    Novamente parabens pela conquista!!!

  6. Aqui estou eu muito orgulhosa e muito emocionada com o seu relato porque dá para perceber nas entrelinhas o quanto você está realizado.

    Vou acompanhar suas aventuras a universidade com aquela sensação deliciosa de irmã mais velha explodindo de orgulho.

    Parabéns e boas aulas.

    Agora, só para provocar, dia 3 de janeiro eu te ligo de Florença (Firenze) na Itália.

    Beijos

    Si

  7. Aê Bixão. Parabéns, Barreto.
    Sou ouvinte seu do rapaduracast e ex-eventual visitante de seu site.
    Agora visitas serão perenes.
    Estou com a galera na parte do orgulho e por que não da inveja.
    Relaxa que é inveja boa.
    Grande abraço e divida conosco esta experiência.

  8. OLÁ BARRETÃO!!

    Arrecem consegui comentar aqui no site, ainda que tenha te elogiado lá no RapaduraCast.
    Cara, meus mais sinceros parabéns! Parabens mesmo! Que as coisas sejam “só alegria”, como um professor meu dizia! Faculdade nunca é mole, ainda mais com a lógica capenga dos nativos daí (ou nem tão nativos, levando em conta a dona russa lá das fotos), mas eu sei que as coisas vão ser tri boas pra ti. Afinal, a Força está contigo!

    Aproveitando a véspera de vespera de Natal, um feliz Natal pra ti e pra toda a tua familia! Tudo de bom, bom Ano Novo e boa sorte lá dia 03! Vai dar tudo certo, tu vai ver! 😉

    Que a Força esteja contigo!!

    Abração e até mais!!

    Flávia Santos, 18 anos
    Porto Alegre – RS

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *