[Especial SOS] Zack Snyder: Respostas, Entrevista e NOVAS FOTOS!

Sou totalmente contra essa “tendência moderna” de criar filmes para adultos, mas retirar as tecnicalidades nojentas ou excessivas do filme para que ele possa ser censura 13 anos. É pura tecnicalidade. Não há nenhuma idéia para crianças nesse filme, então para que forçar a barra? O fato de não cortarmos a cabeça de ninguém não faz com que o filme seja censura livre.

Confesso que quando sugeri que os leitores participassem da entrevista com Zack Snyder não esperava muito retorno em termos quantitativos. Entretanto, foram mais de 30 comentários e mais que o dobro disso em termos de perguntas, já que ninguém se contentou em enviar apenas uma pergunta. Ou seja, grande sucesso e mais uma prova de que esse ano de trabalho só agregou para a vida de todos os visitantes, freqüentes ou não. =D

Pode ter demorado, mas vocês acham mesmo que eu publicaria tudo sobre Watchmen de uma vez só? Vamos por partes, como diria Jack. Hoje, integrando o especial de aniversário do SOS Hollywood, finalmente concluímos esse feliz capítulo com Zack Snyder, mas não para por aí. Além da entrevista e das resposta de diversas das perguntas, também publicamos algumas fotos inéditas das fantasias usadas por alguns dos personagens de Watchmen. Confira no final da matéria imagens de Rorschach, Comediante, Espectral, Coruja e Ozzymandias. Finalmente, o Danilo pode acalmar os ânimos! =D

Antes de mais nada, o melhor da entrevista com Zack Snyder, um dos clientes mais freqüentes desse repórter! =D Ainda tem muito mais de onde saiu essa matéria, até a estréia vocês conferem por aqui! Chega de papo e lá vai a entrevista!

ZACK SNYDER

Como está todo mundo?
Bem, bem. Adoramos o screening de ontem. Foi impressionante!

Vocês viram o material extra de Rorschach. Ninguém mais vai ver essas cenas até o filme estrear.
Ô beleza!

Então o filme está pronto?
Diria que 99,9% pronto. Estou finalizando algumas partes técnicas e de som, mas tudo está praticamente definido.

Chegou a pensar que Watchmen era infilmável?
Felizmente, isso nunca passou pela minha mente. Já sabia muito sobre o livro, estava informado sobre as tentativas de adaptá-lo, mas nunca pensei nisso. O que é uma coisa boa, afinal, sempre procurei caminhos e não obstáculos. Estava mais preocupado com a propriedade em si e em como transformaríamos tudo isso num filme. Uma coisa interessante é que quando recebi o roteiro, tudo estava completamente diferente, para ser sincero. Tudo era datado, a idéia era fazer algo sobre a “guerra ao terrorismo”, num filme PG-13 e não tinha nada a ver com o livro. E para piorar o estúdio ainda queria algo com possibilidade para uma continuação.

Sério? Que absurdo…
Eles não davam a mínina para a graphic novel. Ainda bem que tinha gente ali, como por exemplo, Larry Gordon [que tem os direitos de Watchmen há 20 anos e grande responsável pela lambança entre Fox e Warner], insistindo para que todos lessem a graphic novel. Houve um período de educação para todos os envolvidos na história. Em Hollywood, tudo gira em torno do roteiro. Ninguém dá muita bola para o que pode, ou não, ter gerado aquele roteiro. Por isso que, quando li, a primeira coisa que pensei foi: isso não tem nada a ver. Felizmente, por conta desse processo, o estúdio aprendeu sobre Watchmen e passaram a entender o que tinham nas mãos. Levei o roteiro para o Canadá, comecei a fazer alguns storyboards, sempre seguindo a graphic novel religiosamente, e, no fim das contas, tinha um roteiro de 165 páginas para começar a filmar. Nesse período, reposicionei o filme em 1985, garanti que teria censura para maiores de 18 anos. Não tinha jeito, quando visualizei o filme, ele já era rated-R, tentar aliviar isso seria bobagem. Sou totalmente contra essa “tendência moderna” de criar filmes para adultos, mas retirar as tecnicalidades nojentas ou excessivas do filme para que ele possa ser censura 13 anos. É pura tecnicalidade. Não há nenhuma idéia para crianças nesse filme, então para que forçar a barra? O fato de não cortarmos a cabeça de ninguém não faz com que o filme seja censura livre.

Pensando nesse aspecto, como a cena de sexo pode ser definida?
Bem, a cena de sexo é realmente sexy. Temos duas cenas de amor entre Dan e Laurie, na verdade, a primeira termina em broxada e a outra dentro da Owlship, dá certo (risos). É sexy, mas também é irônica, sabe. Afinal de contas, temos dois super-heróis, dentro de uma p#@% de uma aeronave flutuando sobre Nova Iorque e tudo acontece da maneira mais fetichista possível (risos). E eles ficam excitados por terem salvado um bando de gente de um incêndio. Fiz de tudo para não fugir disso e tem mais, foi até meio de propósito, mas depois disso, aposto que todo mundo vai ver um filme de super-heróis e pensar “aposto que esses caras estão excitados agora!” (gargalhadas). A graphic novel deixa tão óbvio que o “resgate” faz as vezes de preliminar para esses heróis. A meu ver, fugir desses conceitos seria como trair o conteúdo original. Quando mostrei o filme para o estúdio, eles disseram: “mas que p#@%@ é essa!” (gargalhadas), pois é muito doido. Espero que a cultura pop tenha interesse em assimilar tais situações, mesmo sendo clichês.

O que a adaptação de Watchmen representa para o futuro dos filmes de super-heróis? Será que vai acabar com a graça dos outros?

Acho que aqueles filmes animadinhos com censura livre [Quarteto Fantástico, por exemplo] vão continuar existindo, mas só torçam para que muitos dos espectadores não assistam Watchmen antes da próxima safra (gargalhadas). Há uma linha fina entre o cômico e o sério, que a graphic novel traça maravilhosamente bem. Tudo bem a ver com aquela relação entre sátira, drama sério e humor irônico que sempre te deixa incerto sobre o tipo de filme que Watchmen realmente é. Você pode escolher ver pela ótica do sujeito que tem ódio de super-heróis ou pode levar a história totalmente a sério, vale tudo. O melhor disso é que tudo isso não significa absolutamente nada! É aquela história do “O que aconteceu ao sonho americano? Ele se tornou realidade, você está olhando para ele.” Tá, e aí? (risos).

O fato de tantos filmes sobre super-heróis terem estreado na última década melhora as perspectivas para Watchmen?

Acho que o público está mais educado em termos do gênero que esse filme aborda. Realmente espero que os espectadores possam realmente ler nas entrelinhas e ver que essa é toda a mitologia de uma geração, que é um filme gerado pela e para a cultura pop. Que toda aquela p#@#% violenta e sexual abordam a iconografia da mitologia dos super-heróis. O fato de dois deles fazerem sexo dentro da Owlship faz parte disso, nada é gratuito, mas faz sentido nesse universo.

Mas, ao mesmo tempo, a Lula Gigante foi excluída.

É aquela coisa, o fim do filme é representado pelo ato de Adrian chantagear, ou enganar, EUA e Rússia e evitar o holocausto atômico, forçar o Dr. Manhattan a abandonar o planeta e colocar aqueles personagens num xeque-mate moral no qual não podem revelar que ele é o responsável pela morte de milhões de pessoas. Isso é Watchmen para mim. Foi isso que vendemos para o estúdio, aliás (risos).

Quais filmes te marcaram nesse ano?

Gosto do Cavaleiro das Trevas. (silêncio). É difícil, sabe? Algumas cenas marcaram, mas é difícil eleger filmes.

Teve algum trecho realmente alterado pela Warner? Houve muita pressão para reduzir a duração do filme?
Olha, preciso defender aqui. Fomos muito parceiros e precisei jogar em equipe, especialmente na questão da duração. Ficou em 2h37, mas existe a versão com 3h, que é animal! (risos). Estará no DVD e também existem conversas sobre a possibilidade de exibirmos essa versão nos cinemas perto do lançamento do disco com a “versão do diretor”. Como finalizei esse corte de maneira integral, ele também poderá ser exibido.

Chegou a pensar em falar com Alan Moore e tentar trazê-lo para o projeto?

Antes de eu entrar no projeto, tinha sido claro em “não fale comigo”. Nem tentei.

Você filmou Os Contos do Cargueiro Negro, mas e os artigos ou capítulos de Under the Hood? Alguma chance de entrarem no filme?
Não filmei nada dos artigos, mas haverá um especial fantástico sobre Under the Hood. É basicamente um programa especial que simula um especial de época de quando o livro foi lançado, 73 se não me engano. É uma espécie de retrospectiva, com entrevistas com todos os personagens e, claro, 90% do que Stephen McHattie fez foi focado nesse material suplementar e em narração do livro. Adorei, para ser bem sincero. As entrevistas e essas gravações foram feitas no Gunga Dinner.

[youtube=http://www.youtube.com/watch?v=nd5cInmK6LQ&hl=pt-br&fs=1]
(esse é um dos materiais gravados nos mesmos moldes do Under the Hood. Com isso dá para ter uma idéia de quão bacana será o DVD, os chatos gostando ou não do filme!)


Só confirmando. Sem continuações, certo?

Sem dúvida!

E a sequencia de 300?
Vamos ver o que Frank escrever. Tudo depende dele (risos).

PERGUNTAS DOS LEITORES

Aí vão as OITO respostas diretas às perguntas selecionadas. Proprietários, manifestem-se e obrigado:

1) Como a duração final afetou o roteiro?
A diferença entre a versão do diretor (3h) e a versão final (2h37) não gerou grandes mudanças e a mudança do final (Lula Gigante) não foi fruto de nenhuma pressão.

2) O sucesso de O Cavaleiro das Trevas afetou em algo?
Watchmen já tinha sua história e linha de produção pronta quando o fenômeno aconteceu. O máximo que afetou foi me deixar impressionado com o filme e, claro, rir um pouco do sujeito com a capa preta.

3) A ausência da Lula Gigante afeta a trama do Comediante com o Moloch?
Não, pois independente da presença do monstro, as cenas dramáticas entre Comediante e o Moloch estão presentes no filme, portanto, a intensidade se manteve. Jeffrey Dean Morgan também confirmou a presença do colapso do Comediante na frente do Moloch.

4) Além de Os Contos do Cargueiro Negro, mais alguma coisa foi adaptada para o DVD?
Under the Hood terá atenção especial com vários especiais suplementares narrados por Stephen McHattie e um programa de televisão que “marcou o lançamento do livro” em 73, com entrevistas dentro do Gunga Dinner.

5) Dan vai ter, ou não, a barriguinha de choppe?
O Coruja não tem barriguinha, pois a armadura suprime, mas o personagem tem sim seus problemas com a balança depois de ter se aposentado.

6) Como vai ficar a censura do filme?
Watchmen nasceu como um roteiro para censura 18 anos e não faria sentido mudar isso para levar crianças ao cinema. Não tem nada para crianças ali.

7) As cenas de sexo foram aliviadas ou continuaram?
Continuaram do jeito que foram criadas na graphic novel.

8 ) Vai haver continuação?
Não! =D

E, por fim, as imagens exclusivas do SOS Hollywood! =D

Sobre 

Fábio M. Barreto roteirista e diretor de cinema e TV. Baseado em Los Angeles, nos Estados Unidos, atuou como criador de conteúdo multimídia, mentor literário e é escritor premiado e com vários bestsellers na Amazon.com.br. Criador do podcast "Gente Que Escreve" e dos cursos "Escreva Sua História" e "C.O.N.T.E. - Curso Online de Técnicas para Escritores".

    Saiba mais sobre mim:
  • facebook
  • googleplus
  • linkedin
  • twitter
  • youtube

37 comentários sobre “[Especial SOS] Zack Snyder: Respostas, Entrevista e NOVAS FOTOS!

  1. Se você não leu Watchmen, não leia o meu comentário.

    ———————–

    O Snyder ferrou muito a lógica do filme ao tirar a Lula Gigante (ou algo que indicasse a um ataque alienígena), pois era a essência do plano do Ozymandias para unir as nações.

    Colocar a culpa no Dr. Manhattan, logicamente, iria aumentar o ódio contra os americanos, e portanto aumentar as chances da guerra iminente (e não evitá-la) será que ele é tão burro ao ponto de não perceber isso?

    ——————————————

  2. “Tudo era datado, a idéia era fazer algo sobre a “guerra ao terrorismo”, num filme PG-13 e não tinha nada a ver com o livro. E para piorar o estúdio ainda queria algo com possibilidade para uma continuação.”

    Tava na cara que o estúdio pensaria em algo assim. Eles fazem as coisas do jeito deles e foda-se o material original. Pra eles, “baseado” pode muito bem se limitar ao nome da obra e dos personagens. Dragon Ball que o diga. Por isso eu respeito demais e agradeço o Snyder. Convencer os manda-chuvas a manter a história em 1985 e com censura 18 não é pouca coisa! Por isso confio no cara, mesmo com a alteração do final e a duração curta demais.

    @ Jovem

    Isso é o que eu venho falando exaustivamente aqui no Judão. Já desencanei, agora é só esperar. E repetindo: IN SYDER I TRUST.

  3. @ Jovem
    Não posso comentar sobre isso, pois AINDA não vi o final, então seria chutômetro. Gostar baseado no chutômetro é complicado. Mas faço coro contigo, gostaria de ver o Bucetão no filme.

    @ Jackson
    Tá vendo? Poderia ser pior! hehe

    @ Porco
    Baseado única e exclusivamente no que eu vi, achei do grande carvalho. Fiquei impressionado e, na boa, se um filme dessa magnitude me impressiona, achar bom é natural. Agora, ritmo ali vai ser chave e ver cenas isoladas não dá essa noção em termos narrativos. Veremos, veremos. Por enquanto, estou gostando e apostando no Snyder.

  4. Eu ainda acredito que o novo final possa funcionar se for bem explicado embora não houvesse necessidade de modificar o original e fico grato pelo Snyder ter assumido o projeto, pois sem ele a alteração no final se extenderia a todo o filme, que acabaria pegando censura livre.Ótima entrevista e que venha o filme!

  5. Realmente poderia ter sido beeeeeeem pior!

    Quanto ao final, eu achei interessante se eles usarem bombas atomicas e culparem o Mahattan por isso, seria até um motivo coerente para ele ter planejado a saída dele do planeta do que apenas ter medo.
    Mas nada supera o orignial, e a lula seria algo realmente bom.

    Mas poxa eu vi no Melhores do Mundo que agora com o acordo da FOX/Warner o voltou a ser cogitado até uma continuação é verdade?

  6. “Por que EU deveria salvar um mundo do qual não espero mais nada?”

    Parecem muito com palavras de alguém tão ALIENADO que chega a ser quase um ALIENÍGENA.

    Acho que é por aí que saíram pela tangente.

    Pois alguém com poderes de um DEUS, que não respira ou dorme, é quase onipresente em razão da capacidade de teletransporte, pode ver o futuro e alterar a matéria em nível subatômico é muito mais como um ESTRANGEIRO/ALIENÍGENA do que uma mera SUSPEITA de ameaça alienígena sem qualquer fundamento, sobretudo por só haver pedaços de milhões de pessoas e de um monstruoso polvo gigante transgênico…

    I watch the WATCHMEN.com 🙂

  7. Na verdade o que foi divulgado é que, no acordo, a FOX teria o direito de Co-produzir uma continuação caso ocorra/queiram. A visão do Snyder quanto a isso é clara, mas isso não quer dizer que algum idiota acabe mandando isso pra frente com outro diretor…. muito cedo pra especular qualquer coisa.

  8. “O Snyder ferrou muito a lógica do filme ao tirar a Lula Gigante (ou algo que indicasse a um ataque alienígena), pois era a essência do plano do Ozymandias para unir as nações.

    Colocar a culpa no Dr. Manhattan, logicamente, iria aumentar o ódio contra os americanos, e portanto aumentar as chances da guerra iminente (e não evitá-la) será que ele é tão burro ao ponto de não perceber isso?”[2]

    Tenho falado isso toda vez que vejo a notícia e tratam isso como um detalhe, um final possível. O fundamento do plano do Ozymandias tinha como BASE uma ameaça externa à Terra. Fora isso, modificaram FEIO.

  9. Eu continuo com um pé atrás… ñ gostei da Magrela da filha do Funnyman, nem da armadura do Crânio, nem da falta do Vaginossauro e nem do Snyder, pois acho 300 assaz sem graça….

    A propósito, ja confirmaram a sequência, com Uwe Boll na direção and Tom Cruise como Ozymandias…. turun-tum-pissssch!

  10. Nada supera a minha expectativa para Watchmen, com certeza vai ser O filme de 2009. MASSSS, não deviam NUNCA terem tirado a Lula gigante!!!! Além da trama, o final surreal da graphic é insuperável, o Snyder deu uma escorregada legal e acabou sentando no pepino, nesse quesito, mas tá valendo!! Que venha o Método Veidt!!!

  11. “O Snyder ferrou muito a lógica do filme ao tirar a Lula Gigante (ou algo que indicasse a um ataque alienígena), pois era a essência do plano do Ozymandias para unir as nações.

    Colocar a culpa no Dr. Manhattan, logicamente, iria aumentar o ódio contra os americanos, e portanto aumentar as chances da guerra iminente (e não evitá-la) será que ele é tão burro ao ponto de não perceber isso?”

    O Snyder nessa banca toda dele, não captou metade da complexidade da trama de Watchmen… e acho realmente curioso, que muitos que aqui comentam achem o Snyder, que dirigiu um ótimo filme, Madrugada dos Mortos e um filme muito superestimado, 300, mais digno de confiança, que o Alan Moore, autor de um zilhão de obras primas: Watchmen, V de Vingança, Para o homem que tem tudo, A Piada Mortal, A Liga Extraordinária, Do Inferno, Promethea… posso ficar o dia todo aqui…

    O dia que o Snyder fizer algo parecido com o nível das coisas do moore, eu confio nele pra “melhorar” Watchmen, por hora fico com a HQ…

    Ah e espero estar errado, e que o Snyder realmente faça um bom filme, mas não tenho muitas esperanças…

  12. @ Arthur Malaspina

    Ninguém tá dizendo que Snyder é melhor que Moore, de onde vc tirou essa comparação (sem sentido, aliás)? A questão é que o bruxo velho não quer se envolver com cinema, enquanto o Snyder é um cineasta adaptando uma obra da qual ele é fã. Deve querer muito fazer um bom trabalho.

    Aí vai de cada um se confia no cara ou não. Eu confio, vc pelo jeito não. Lógico que eu gostaria mais do final original, mas se a mudança for bem explicada, tá valendo. A idéia do Snyder não é “melhorar” o trabalho do Moore, mas sim ADAPTAR para uma mídia diferente algo que é genial em sua mídia original. Como eu disse antes, podia ser muito pior, as mudanças seriam muito maiores se o Snyder não batesse o pé pros chefões da Warner.

  13. “Ninguém tá dizendo que Snyder é melhor que Moore, de onde vc tirou essa comparação (sem sentido, aliás)? ”

    De onde? Aí, por exemplo:

    ““Por que EU deveria salvar um mundo do qual não espero mais nada?”

    Parecem muito com palavras de alguém tão ALIENADO que chega a ser quase um ALIENÍGENA.

    Acho que é por aí que saíram pela tangente.

    Pois alguém com poderes de um DEUS, que não respira ou dorme, é quase onipresente em razão da capacidade de teletransporte, pode ver o futuro e alterar a matéria em nível subatômico é muito mais como um ESTRANGEIRO/ALIENÍGENA do que uma mera SUSPEITA de ameaça alienígena sem qualquer fundamento, sobretudo por só haver pedaços de milhões de pessoas e de um monstruoso polvo gigante transgênico…

    I watch the WATCHMEN.com :)”

    sinceramente, achar que dá pra melhorar o final de uma obra fechada, coesa e absolutamente genial como Watchmen ou é não ter entendido toda a complexidade da obra, ou é achar snyder melhor que Moore…

    Sim, são mídias diferentes, mas se formos comparar que final deveria ficar, acho que conceitos de qualidade se encaixam, Moore está para os quadrinhos, em termos de inovação e qualidade, como Kubrick, ou Scorcese ou Copolla estariam para o cinema… aí me pergunto:

    o que exatamente o Snyder provou até agora? Nenhum de seus filmes chega perto nem de ser uma obra-prima, nem de revolucionar o Cinema…

    Sim, confio muito mais no Alan Moore e em seu Final da Lula Gigante do q

  14. Putz… meu comentário foi duas vezes…

    E lembrei de outra coisa:

    “do que uma mera SUSPEITA de ameaça alienígena sem qualquer fundamento, sobretudo por só haver pedaços de milhões de pessoas e de um monstruoso polvo gigante transgênico…”

    Se você tivesse lido Watchmen direito, lembraria que além de “um monstruoso polvo gigante transgênico…” ainda tinha a parte das projeções psíquicas…

  15. “sinceramente, achar que dá pra melhorar o final de uma obra fechada, coesa e absolutamente genial como Watchmen ou é não ter entendido toda a complexidade da obra, ou é achar snyder melhor que Moore…”

    ENR. Nada é mais patético (e velho) do que esse tipo de comentário ‘eu entendi direito, vc nao’, ou ainda ‘se tivesse lido direito’.

    Outra, só pq o final vai ser diferente não quer dizer que ele tem que ser ‘melhor’. Aliás, julgar melhor ou pior é besteira também, isso vai muito de cada um.

    Achei seu comentário muito tendencioso, coisa de fanboy do alan moore, coisa do tipo =P

    Como já disseram aí, se o final novo funcionar, foda-se se é melhor ou não que o original, isso é uma adaptação, ponto.
    Uma adaptação é bem-sucedida se ela consegue provocar em você um efeito similar ao que a obra original provocou, usando as possibilidades da mídia em questão. Só isso.

    A graphic novel revolucionou os comics, mimimi, etc, ok. Isso não quer dizer que o filme tem que revolucionar o cinema, claro que não. Sim, existem conceitos de qualidade, mas não é tão preto-no-branco assim. O que importa é transpor a obra original para a nova linguagem dessa nova mídia, e tentar proporcionar a mesma ‘experiência’ no público. E como isso é algo muito subjetivo, é possível que um ‘final diferente’ ainda consiga causar um efeito similar, depende de muita coisa.

    Eu estou apostando no filme 😛

  16. “Aliás, julgar melhor ou pior é besteira também, isso vai muito de cada um.

    Achei seu comentário muito tendencioso, coisa de fanboy do alan moore, coisa do tipo =P”

    Desculpe, mas não julgar melhor ou pior é a mesma coisa que considerar tudo igual… e não é assim que são as coisas… por esse seu ponto de vista de cada-um-tem-uma-opinião Shakespeare seria a mesma coisa que Paulo Coelho, só porque tem quem goste dos dois… e REALMENTE não é assim…

    Não sou fanboy do Alan Moore, só que não reconhecer o nível de qualidade de watchmen é no mínimo cegueira.

    E claro que importa se o final do Snyder vai ser melhor ou pior… se ele quer mudar o final do Moore, o final dele tem que ser no mínimo tão bom quanto, e não me parece que será, pelo que ele já disse, me parece um final equivocado… se no lançamento do filme, eu constatar que o final realmente é tão bom quanto, ou melhor, aí não me importo nem um pouco de dar o braço a torcer.

    “Sim, existem conceitos de qualidade, mas não é tão preto-no-branco assim.”

    concordo com você, mas não foi “preto no branco”, só disse que o Snyder tem muito que provar ainda, e o Alan Moore não… oras… o Snyder ainda não apresentou nenhum trabalho que seja digno do talento que dizem que ele tem… oras, como já disse aí em cima, se ele calar a minha boca e entregar um ótimo filme melhor pra todo mundo (não sou do tipo de reclamar e ficar triste depois, porque o filme era bom)…

    De qualquer forma, me reservo o direito de criticar a mudança do final, não porque acho que não se deva mudar en nada na obra original, Batman – O Cavaleiro das Trevas provou que as vezes temos que mudar muito pra conseguir adaptar para outra mídia, mas porque acho que esse final que ele disse que vai usar (com bombas imitando os poderes do Dr. Manhatan) é ruim, e com ele perde-se a intenção básica do Veidt no final da história. É isso… desculpem-me se ofendi alguém e tal, não foi minha intenção de qualquer forma.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *