[Depoimento] Nas alturas com Coppola

Em texto especial para o SOS Hollywood, que pedi à amiga Alessandra Guidoni, responsável pelos eventos de imprensa envolvendo Francis Ford Coppola em São Paulo e Rio, ela comenta como é o diretor, conta algumas curiosidades e compartilha uma foto exclusíva do diretor passeando de helicóptero por Sampa!

Atuando em assessoria de imprensa desde o início dos anos noventa – em especial na área de entretenimento -, tive diversas oportunidades de trabalhar com celebridades de vários cantos do planeta. Minha mais recente experiência aconteceu no início deste mês quando o cineasta Francis Ford Coppola (“Apocalipse Now”, “O Poderoso Chefão”, etc) veio ao Brasil para divulgar seu filme TETRO, escrito, produzido e dirigido por ele e lançado hoje (10/12) nos cinemas brasileiros pela Imovision. Pude ver de perto como a fama não afetou a cabeça do cineasta e até passeamos de helicóptero pelos céus de São Paulo a caminho da Rede Globo, onde foi entrevistado por Jô Soares, e ele estava devidamente ambientado às alturas, afinal, fez 6 meses de aula de pilotagem naquele aparelho.

Em geral, os “talents” estrangeiros (como nos referimos às personalidades artísticas) costumam ser bastante tranqüilos de se trabalhar. São impecavelmente profissionais, respeitosos e educados, raros são os casos de estrelismo por parte deles. Com o Coppola, um tranquilo senhor de 71 anos de idade, não foi diferente. Atencioso, gentil, paciente mesmo com os fãs (e jornalistas) mais eufóricos. Atendeu à imprensa com respostas longas, completas, distribuiu autógrafos, tirou fotografias com todos que solicitaram (muitas vezes somos nós da equipe de divulgação que temos que controlar o público, pois eles, os astros, geralmente não conseguem dizer “não”) apesar de confessar que não gosta muito de fotografias.

No Brasil, em São Paulo e no Rio de Janeiro, Francis Ford Coppola participou de eventos de imprensa, pré-estréias, encontros educativos. Numa de nossas conversas, o diretor comentou que gosta de atender aos jovens jornalistas em vez de só falar com os medalhões, assim como é claro quando diz ficar mais empolgado por viver rodeado por gente nova para dar conselhos profissionais e idéias. Não fez nenhuma exigência, comentou que não se sente confortável em ter seguranças particulares por perto (ele não permite que os seguranças afastem as pessoas que tentam se aproximar), gosta de feijoada e caipirinha, disse que tudo no Brasil está muito mais evoluído, mas também muito mais caro desde que esteve aqui há muitos anos, e não deixou de exibir uma de suas peculiaridades: meias diferentes, um pé de cada cor. Ao ser questionado sobre o porquê de tal hábito, algum tipo de superstição talvez, Coppola sorriu maroto e respondeu “because I can”. Com certeza, ele pode.

Sobre 

Fábio M. Barreto roteirista e diretor de cinema e TV. Baseado em Los Angeles, nos Estados Unidos, atuou como criador de conteúdo multimídia, mentor literário e é escritor premiado e com vários bestsellers na Amazon.com.br. Criador do podcast "Gente Que Escreve" e dos cursos "Escreva Sua História" e "C.O.N.T.E. - Curso Online de Técnicas para Escritores".

    Saiba mais sobre mim:
  • facebook
  • googleplus
  • linkedin
  • twitter
  • youtube

2 comentários sobre “[Depoimento] Nas alturas com Coppola

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *